sábado, 31 de março de 2007

Andebol Júniores: AAC x São Mamede

Assisti, esta tarde, à partida entre a equipa de júniores da Académica e a de São Mamede. Apesar dos meus conhecimentos sobre Andebol não serem vastos, pareceu-me ter sido uma partida equilibrada, onde o resultado se revelou injusto. A Académica saiu derrotada por uma bola (30x31), resultado este devido também ao fraco desempenho da equipa de arbitragem durante a segunda parte.

Ficam os meus sinceros parabéns à equipa dos meus amigos Rui Baltazar, João Jorge, Coelho, entre outros. Força BRIOSA!

Iniciados ACADÉMICA X BENFICA

INICIADOS A: ACADÉMICA X BENFICA – domingo (1 de Abril) às 11 horas no Campo Dr. Américo Couto na Mealhada.

"Acreditem em nós!"

Um Abraço, Rui Lourenço

V.Guimarães 3 - Académica 2 (Juniores)

Terminou há momentos a partida em Guimarães. A Académica aos 82m vencia por 2 - 0, mas nesse momento, num lance absolutamente fortuito, a bola bate "meio no peito meio na mão" de um defesa nosso e o árbitro marca grande penalidade, expulsando, não o jogador que cometeu a suposta infração, mas outo jogador. A partir daí os nossos jogadores, naturalmente, desorientaram-se e, com a ajuda descarada do árbitro, o adversário acabou por fazer mais dois golos. O campo esteve sempre inclinado para o mesmo lado.
O Treinador, Prof. Rui Silva, transmitiu-nos há pouco, completamente amargurado e revoltado, a tristeza que tomou conta da equipa.
Queremos aqui expressar, mais uma vez, a nossa total solidariedade a todo o Grupo.

"A Académica para os verdadeiros Académicos"

"A Académica para os verdadeiros Académicos". Será esta a palavra de ordem que, a partir de hoje, acampanhará para todo o lado Luís Santarino e todos aqueles que estarão consigo.
"Os verdadeiros" realça a oposição frontal à forma como (não) tem sido a Académica nos últimos anos. Porque a Académica de Luís Santarino será sempre de, e para, todos aqueles que a transportam no seu coração, "os verdadeiros". Será transversal a toda a sociedade e pretende unir todos os Académicos; da cidade, do país, do Mundo.
"A Académica para os verdadeiros Académicos" pretende envolver, desde já todos aqueles que sentem a Académica, num debate sério, alargado e construtivo, que nos permita olhar o futuro com mais confiança.
Esta "Académica para os verdadeiros Académicos" tem estado, desde sempre, onde quer que haja Académica; em todas as «batalhas», nos bons e nos maus momentos. Agora, é tempo de nos unirmos em torno dela para os desafios que se avizinham; Amanhã contra o Leiria, depois contra a Amadora e... por aí fora.
Viva a Académica!

sexta-feira, 30 de março de 2007

A minha equipa

Quinze dias depois, voltamos a ansiar por uma Académica mais forte e ganhadora. Com Alexandre de fora, Manuel Machado vê-se "obrigado" a mexer na equipa.
Para entrarmos com uma equipa ganhadora jogaria assim:

Pedro Roma
Kaká
Litos
Paulo Sérgio
V. Vinha
Brum

Filipe Teixeira

Sílvio

Lino

Dame

Joeano

E você, caro leitor?

Manuel Machado quer "resposta positiva"

O treinador da Académica, Manuel Machado, manifestou esta sexta-feira vontade em que a sua equipa dê no domingo uma “resposta positiva” com a União de Leiria, após três meses de derrotas em Coimbra para a Liga.

“Só posso esperar que a minha equipa dê uma resposta positiva em casa, ganhando, num jogo importante para a definição da tabela. O que tem falhado nos jogos em Coimbra é a qualidade de jogo e os erros que se têm repetido”, explicou Manuel Machado, acrescentando não achar “que as derrotas se devam à maior pressão dos sócios”.

Na habitual conferência de imprensa de antevisão do jogo da 23.ª jornada, o técnico dos estudantes teceu bastantes elogios ao adversário, afirmando que “é uma das equipas menos batida no campeonato”, pelo que “o grau de dificuldade é elevado”.

Para este derby regional, o Manuel Machado assume algumas mexidas na equipa, nomeadamente o regresso do médio Paulo Sérgio para a sua posição, ao invés de lateral-direito adaptado, preenchendo o lugar do médio Alexandre, de fora, por castigo.

Ainda de fora, continuam os médios Hélder Barbosa e Milos Pavlovic, ambos lesionados, aos quais se juntou esta semana, por problemas musculares, o central Danilo.

Quanto ao esquema de jogo, Machado assume “uma estratégia de continuidade”: “ A Académica tem um futebol estruturado, há que dar continuidade ao trabalho de oito meses. Não faremos nada que não tenhamos trabalhado antes.”

Sobre o seu futuro, escusou-se a comentar a notícia do site oficial, na passada semanada, sobre a sua renovação por mais um ano, não querendo alimentar as especulações que a mesma estaria condicionada, face aos resultados desportivos.

A Académica, 13ª classificada, com 20 pontos, vai defrontar o sétimo, a União de Leiria, com 29. O jogo realiza-se domingo, no Estádio Cidade de Coimbra, a partir das 16:00, com arbitragem de Artur Soares Dias, do Porto.

Domingos Paciência abandona U. Leiria

A 48 horas do jogo de carácter quase decisivo a Académica vê o seu adversário ficar sem treinador. Domingos Paciência já não é treinador do U.Leiria.

"Domingos Paciência já não é treinador do U. Leiria. O técnico deixou o clube esta tarde e, em conversa com o MaisFutebol, limitou-se apenas a confirmar o facto. «É verdade. Não quero alargar-me mais sobre o assunto, apenas confirmo que abandonei o U. Leiria», referiu o técnico, remetendo mais explicações para a administração da SAD.

Segundo foi possível apurar, a iniciativa terá partido do técnico e terá como motivação principal questões disciplinares no seio do plantel."

Vamos ver se é bom ou mau para nós esta mudança repentina/drástica...

ASSEMBLEIA GERAL DE ASSOCIADOS

CONVOCATÓRIA

Nos termos do nº 2 do artigo 59º., dos estatutos, convoco a Assembleia Geral de Associados da Associação Académica de Coimbra – Organismo Autónomo de Futebol, em sessão ordinária, para o dia 11 de Abril de 2007, pelas 20H00, no Auditório do Estádio Cidade de Coimbra, sito na Rua D. Manuel I, em Coimbra, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

1. Apreciação do Relatório e Contas do 2º semestre de 2006, correspondente à Época Desportiva 2006/2007.
2. Academia Briosa XXI – Conclusão e Financiamento.
3. Apreciação e votação da Proposta de renumeração dos Associados.
4. Informações

Coimbra, 16 de Março de 2007

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral
Dr. António de Almeida Santos
_______________________________________________

Artº. 62º. – 1 – A Assembleia Geral só funciona com poderes deliberativos, em primeira convocatória, com metade, pelo menos, dos seus sócios efectivos.

§ único – Não estando presente o quorum referido, a Assembleia funcionará uma hora depois e até às duas horas do dia seguinte, com poderes deliberativos se estiverem presentes e enquanto o estiverem, um mínimo de cinquenta associados e se tal constar do aviso convocatório.

Que (estranha) Formação !?

O excelente trabalho que se está a desenvolver nas equipas de Formação e que se tem traduzido, nestas últimas épocas, no apuramento para fases seguintes e na convocatória para as selecções nacionais, enche-nos de contentamento e dá-nos grandes esperanças quanto ao futuro. É de louvar o grande trabalho que tem sido feito por todos (técnicos, dirigentes, roupeiros..), destacando o apoio incansável das familias dos jogadores. Não nos podemos, ainda, esquecer que estes jovens jogadores têm encontrado pela frente, para além dos adversários naturais, uma série de problemas estruturais, não tendo um espaço próprio para treinar e jogando, muitas vezes, longe de «casa». Felizmente que o Complexo Dr.Francisco Soares tem, finalmente, os campos sintéticos concluídos, estando já a serem usados, com alguma regularidade, pela Formação.
As campanhas das equipas de Iniciados, Juvenis e Juniores têm sido acompanhadas de perto pela blogosfera, com destaque para "Os Pardalitos", para o "Denúncias" e para o "Simplesmente Briosa". Aqui no "Denúncias", para além de acompanharmos em directo muitos dos jogos, todas as semanas temos tido as magníficas crónicas dos técnicos dos Juniores e Juvenis e, mais recentemente, também o jogador dos Iniciados, Rui Lourenço, nos tráz excelentes comentários às partidas realizadas. Este destaque é, na minha opinião, não só mais do que justo, mas também muito importante, funcionando como estímulo e motivação para os jovens jogadores da Académica, sendo certo que muitos deles são habituais leitores destes espaços.
O pior é quando os «veteranos» viajantes desta blogosfera Académica tomam conta dos "posts" dedicados ao futebol jovem e os transformam nas guerras do costune. Esta semana foi, a este propósito, particularmente penosa. De facto, é profundamente incompreensível como há gente que aproveita qualquer "post", mesmo que seja sobre a Formação, para alimentar intermináveis e insuportáveis guerras pessoais, onde se dedicam, apenas, a estranhos jogos, não só de ódio, mas também de vaidade. Não encontrarão, estas pessoas, outros lugares para satisfazerem estas suas necessidades? Que estranha forma de vida! Isto não é, definitivamente, Formação!
P.S. Força, Malta! Determinação, coragem e ... boa sorte nos jogos contra o Benfica (Iniciados) e V. Guimarães (Juniores)

quinta-feira, 29 de março de 2007

José Viterbo e Luís Santarino

Ambos os nomes dizem muito a todos os que sentem a Académica. Têm em comum o facto de fazerem o favor de serem meus amigos. Têm sido absolutamente vilipendiados por asquerosos seres que fazem da sua vida, a mentira, o asco, o anonimato e a vontade de "assassinar" com boatos, o bom nome de pessoas sérias.
Não vou fazer currículos nenhuns destes dois grandes Académicos. Somente fazer-lhe, dentro da minha modesta força "bloguística" a justiça merecida.

Luís de Santarino Fernandes- Homem de 57 anos, pai de três filhos/as, licenciado em Comunicação Organizacional, é um personagem Académico ímpar. Desde sempre levou a vida como alguém impoluto. Ninguém, MAS NINGUÉM, pode atentar contra a sua seriedade e honestidade. Ao contrário de alguns, deu sempre a cara no sítio certo, e na presença de quem quis visar, não escondendo a tristeza e mágoa pela situação que a Académica está a passar. Foi vítima da prepotência do Presidente da Académica, quando este o ameaçou de lhe pôr um processo disciplinar, por dizer o que lhe ia na alma. Isto demonstra, a lei do silêncio que se quer ditatorialmente impôr na Associação mais livre do planeta!!!
Ao vir publicamente afirmar que estava disponível para servir a Académica, logo trataram de o tentar enxovalhar. É impressionante o que se diz e disse dele nesta altura. Mas demonstra também o "receio" e o "respeito" que o nome "Santarino" impõe. Quem é o que lhe chamam, não incomoda.
O Luís, devo dizer, tem dado cada vez mais provas de ser um Homem na acepção da palavra. Conto um simples episódio, que desde já lhe peço desculpa por tornar público.
Há bem pouco tempo, um amigo do Luís, confrontado por problemas pessoais, ouviu da boca dele o seguinte: " A solidariedade que os meus amigos têm, é eterna até ma traírem a amizade. Nem que vá lavar carros, não me venderei, nem deixarei cair os meus amigos." Acho que basta para revelar um, pouco da sua personalidade.
Quanto ao facto de se candidatar ou não a Presidente da Académica, apesar de legítimo, por ser sócio com cotas pagas, quero crer que a ser verdade, vai ter grandes dores de cabeça. Por ele faz as coisas com racionalidade, com o coração, e essencialmente pela Académica. O voto é secreto, mas para já deixo andar a "coisa" para lhe dar ou não o meu apoio. Agora amizade, Luís: SEMPRE!!!


José Eduardo Viterbo Correia- Tem um grande defeito: É bom demais. O que tentaram fazer-lhe, ao lançarem o boato que seria o próximo treinador adjunto de Gonçalves, nem os próprios crápulas conseguem fazer ideia do mal que lhe estavam a fazer. Até profissionalmente.
Dava tudo para que esses execráveis seres dissessem que eu andava a roubar (para depois terem que o provar) e lançassem AINDA mais boatos sobre a minha pessoa. Quem me conhece, sabe como reajo:" MY NAME IS GUEI, CA GUEI!!!".
O Zé não. O Zé trabalhou para a Académica bem mais do que uma década. Por onde passou profissionalmente deixou amigos e um grande trabalho. Todos os respeitam e gostam dele. Foi MISERAVELMENTE tratado na Académica tanto pelo Presidente actual, e por um nojo de gente chamado João Pedro Parreira.
Mesmo assim, teve a hombridade de se sentir obrigado a demonstrar a sua solidariedade a José Eduardo Simões, quando os problemas conhecidos que teve, por sua livre iniciativa.
Pôs na Académica gente que o traiu, que o denominou de tudo, menos do seu bom carácter, e profissionalismo conhecido.
O Zé é das melhores pessoas que alguma vez conheci.

Saiem-me do coração estas palavras. Mas é o menos que posso fazer por duas pessoas que contarão comigo para tudo.
Zé e Luís, força!!!

Soltas

1- A Académica vai realizar no próximo domingo, um jogo que pode determinar o futuro a curto/médio prazo do OAF. Se conseguirmos a almejada vitória, não me restam dúvidas que a tranquilidade classificativa vem para ficar definitivamente, o que poderá conduzir a que questões transversais da nossa vida associativa, que não menos importantes - note-se - sejam o núcleo do debate Académico.
Se eventualmente perdermos, ou empatarmos, a nossa classificação começa a tornar-se de tal forma complicada, que pouca gente acreditará que levemos a "carta a Garcia".
Esta questão das renovações/contratações estão obrigatoriamente reféns dos próximos resultados. A dificuldade de recrutamento de jogadores/técnicos tornar-se-á muito mais difícil com a Académica na 2ª liga, o que por demais óbvio. Para quem é católico, reze, para quem não é vá aos jogos e "torça" pela sua Académica.

2- Não volto a falar da não renovação de Manuel Machado. No fim da época (ou antes disso) falaremos com provas daquilo que dissemos.

3- Dia 11 de Abril, marcada está uma AG ordinária, ferindo os estatutos. Pelo bem da legalidade estatutária, seria até 31 de Março. Nesta AG, garanto-vos, muita coisa irá passar-se. Temo somente que pela data, e dia da semana (terá sido de propósito?) muita gente não esteja presente. Lembre-se que é a uma quarta-feira (no dia seguinte trabalha-se!!!).
Mas os Académicos já provaram que não se deixam enganar, e, a bem ou a mal, muita coisa esclarecer-se-á.

4- Eleições: O Presidente da AG, já veio publicamente falar em Dezembro, como a data a realizar eleições. Não concordo de forma nenhuma. Como irá a direcção que se seguir, gerir as contratações e política desportiva mais do que obsoletas e ruinosas de José Eduardo Simões?
Ou se antecipam as eleições para Junho, ou então que se façam em Abril de 2008. A AG extraordinária tem obrigatoriamente que se realizar. Se não se discutir desta vez este assunto, o mesmo deverá ser feito a muito curto prazo.

5- Para já perfilam-se somente dois possíveis candidatos às próximas eleições: José Eduardo Simões, e Luís Santarino.
Espero que tanto um como outro não se esquivem a um debate sério, público e Académico. Na eventualidade de aparecer mais algum, é minha opinião que a sua credibilidade Académica está já posta em causa. Porquê? Porque não os vemos nas AG's, a opinar sobre a Académica, a ir aos jogos, etc...
Ressalvo e tiro deste rol, o Dr. Campos Coroa.
Assim, faça-se como nos casamentos: Ou têm alguma coisa a declarar, ou calem-se para sempre.

quarta-feira, 28 de março de 2007

Jornal "A BOLA": Simões sonda técnicos

Eis a notícia impressa no jornal "A Bola" datada do dia de hoje, 28/3/07:

"O presidente da Académica, José Eduardo Simões, na semana em que o site oficial do clube anunciou o acordo para renovação de contrato por mais uma temporada com Manuel Machado, promoveu abordagens junto de outros treinadores com o intuito de aferir a disponibilidade destes para assumirem o comando técnico da Briosa.

Segundo A BOLA apurou, Luís Norton de Matos foi um dos técnicos contactados por José Eduardo Simões, num rol de nomes que incluía ainda Ulisses Morais, Daúto Faquirá, Carlos Carvalhal e Rogério Gonçalves. Este último, de acordo com especulações alimentadas há vários dias em Coimbra, sobretudo pela blogosfera académica, terá já mesmo um princípio de acordo para assumir os destinos da Académica, não apenas a partir da próxima época mas ainda no final desta, caso os pontos continuem a fugir a Manuel Machado. Este ainda não se pronunciou sobre o acordo anunciado pelos estudantes, tal como a generalidade dos dirigentes da Briosa, o que tem alimentado as dúvidas acerca da veracidade do anúncio feito no site do clube."

Nota: Pois é...

segunda-feira, 26 de março de 2007

Votações

Ora viva!


Desculpem lá interromper as vossas guerras, mas é só para avisar que há uma pequena sondagem à direita, abaixo da secção dos "Últimos comentários", sendo esta primeira sobre as possíveis eleições presidenciais da ACADÉMICA.

É só seleccionar a vossa opção e votarem. Cada um sabe de si, mas é do senso comum que as sondagens são eficazes apenas quando o voto é único.

Independentemente das opiniões, independentemente das denúncias, VIVA A BRIOSA!

Luís Santarino desmente "Lusa"

Ligou-me agora o Dr. Luís Santarino, incomodado, a pedir que se diga o seguinte:
" Eu Luís Santarino, fui contactado pela Agência Lusa, para opinar sobre a próxima Assembleia Geral. O espírito da notícia e os termos utilizados, estão em total desconformidade com o que eu disse. Imediatamente solicitarei a todos os jornais e blogues que publicaram esta notícia, o meu mais veemente desmentido e repulsa pelas minhas palavras terem sido adulteradas."

Luís Santarino defende que: Académica - Assembleia Geral de 11 de Abril tem que ser extraordinária *

Luís Santarino, candidato à presidência da Académica, defendeu hoje que a próxima Assembleia Geral ordinária, marcada para 11 de Abril, viola os estatutos do clube por incumprimento do prazo previsto.

"Os estatutos do clube estão a ser violados e feridos de ilegalidades. Está tudo abandalhado. A próxima AG só pode ser considerada extraordinária", afirmou Luís Santarino à Agência Lusa.

Esta posição baseia-se no artigo 59, que defende: "a Assembleia Geral reúne-se em cada ano até 31 de Março para apreciação e votação do Relatório e Contas da Direcção do ano anterior e até 15 de Dezembro para apreciar e votar o orçamento do ano seguinte".

Ultrapassados os prazos, Luís Santarino defende que "esta AG não tem razão de existir com esta ordem de trabalhos", já que o artigo 63 dos estatutos da "Briosa" advoga que "nas assembleias gerais não pode haver deliberações estranhas à ordem de trabalhos".

"O presidente da Mesa da Assembleia Geral, Almeida Santos, terá que explicar a interpretação dos estatutos do clube, uma vez que reina uma grande confusão", continuou Santarino, que tem mantido reuniões com vários associados de diferentes pontos do país (Aveiro, Coimbra, Porto e Beira Interior) para explicar o seu projecto à frente do clube.

Em causa está também o pedido de uma AG extraordinária, subscrito por cerca de 50 associados, há mais de duas semanas, sob a iniciativa do sócio João Francisco Campos para esclarecimento do calendário eleitoral por parte de Almeida Santos e que, segundo o próprio, já lhe teria chegado às mãos.

Segundo os estatutos, as eleições devem realizar-se até 15 de Abril do ano em que há lugar eleições ou no final dos três anos de mandato. Devido à morte do ex-presidente João Moreno em Outubro de 2004, as eleições ocorreram a 17 de Dezembro do mesmo ano, pelo que o acto eleitoral deveria ocorrer, segundo defendem uns sócios, até final deste ano, ou segundo outros, até 15 de Abril do próximo ano.


* Lusa

Rogério Gonçalves treinador da Académica

Depois de muitas discussões blogosféricas, sobre o futuro treinador da Académica, e depois da direcção da Académica fazer uma "engenharia" dialéctica, tipo "cala tolos" o "Denúncias&Opiniões" está em condições de confirmar a notícia dada em 1ª mão, pelo blog "Rapazes de Preto".
Rogério Gonçalves será o próximo treinador da Académica, o que poderá ainda acontecer este ano caso os resultados da equipa profissional não melhorarem.
A não ser que aconteça um volte-face absolutamente inacreditável, a verdade é só esta.
Sobre este assunto não direi nem mais uma palavra, pois jamais comprometeria a fonte.

Haverá lugar para a tolerância?

Apesar de na próxima A.G, marcada para o próximo dia 11 de Abril, não constar sequer a palavra eleições; apesar de nada ainda estar definido, o desejo de mudança está por aí em força e mesmo, segundo se lê, o próprio presidente da Académica também foi contagiado pela «onda», o que parece traduzir, de facto, que há alguma coisa.
Nestes últimos dias, aqui pela blogosfera, e mesmo encontrando-nos numa fase ainda «embrionária», essa «onda» começa a ser imparável e, como seria de esperar, neste mundo meio-virtual que é a internet, onde a grande maioria das pessoas se manifesta escondida no anonimato, o nível da discussão, salvo raros momentos, vai decaindo. E a tendência, infelizmente, será para o «turbilhão» de palavras ofensivas e doentias ir aumentando gradualmente. Imagino o que será, quando estivermos em plena campanha para eleger uma nova direcção?!
Neste mundo da blogosfera Académica , para mim e para muitos, algo ainda relativamente recente, têm , como é óbvio, surgido «posts» muito interessantes e alguns grandes comentários que geram, por pouco tempo, uma discussão interessante, mas o que prevalece é pobre e decepcionante. É evidente que já deu para perceber que, pelo menos nesta nossa blogosfera, muitas posições extremadas que se tomam, muitos comentários, não têm, felizmente, transposição para a realidade. O pior é que, no meio disto, também existe, afinal, essa correspondência. Que estranho mundo este em que só se consegue comunicar com o outro pela violência!
Pelo facto de nos aproximarem, quebrando as barreiras geográficas, os blogues poderiam ser importantíssimos para o debate construtivo em torno do (novo) futuro da Académica.E Ela merecia muito mais!
Naturalmente que cada um de nós já sonha com uma Académica muito melhor. Provavelmente haverá já muitos que, perante os caminhos que se vislumbram, já optou por algum. Será possível haver , nesse seu caminho, nessa sua Académica, um lugarzinho, pelo menos, para a tolerância?

O senhor que se segue *

Ainda este ano, os sócios da Académica serão, novamente, chamados às urnas. José Eduardo Simões tem, para já, um lote bem identificado de possíveis concorrentes.

Após um passado recente, no mínimo, conturbado, a entrada para o novo ano – e a antevisão da nova época desportiva – da Académica traz consigo o anúncio de eleições. O presidente da assembleia geral, Almeida Santos, anunciou, recentemente, que nova ida às urnas dos associados academistas terá de acontecer, de acordo com os estatutos, antes do próximo mês de Janeiro. Portanto, será ainda antes do final de 2007 que o líder estudantil, para os próximos três anos, será escolhido.
As polémicas que invadiram, aos poucos, o quotidiano da actual direcção – somando a campanha desportiva (no campeonato e na taça) abaixo do expectável – levou a que, sem surpresas, antigos e novos candidatos se perfilassem para a sucessão a José Eduardo Simões. Além de Campos Coroa, existe uma lista de nomes que, em hora de decisões, se começa a vislumbrar (e reduzir). José Belo, presidente do Núcleo de Veterano, parece, afinal, não ser carta para o baralho, ao contrário de Coroa, ex-presidente, Maló de Abreu, ex-candidato à presidência (derrotado nas últimas eleições), e Luís Santarino, associado e conhecido opositor da actual direcção, cada vez mais perto de entrarem na corrida – e que, através da mesa do café ou da nova sala de discussão, via internet, parecem recolher alguns apoios.

Presidente recandidato
Mas qualquer que seja o candidato – entre Campos Coroa, Maló de Abreu ou Luís Santarino (e/ou outro) –, e caso não surjam alterações de última hora, terá sempre a concorrência do actual presidente José Eduardo Simões.
Mesmo com um processo judicial a decorrer – onde é acusado pelo Ministério Público de oito crimes de corrupção passiva –, ou com casos de insucesso desportivo – tanto nos resultados, como nos dossiês das renovações de Zé Castro ou, mais recentemente de Dame N’Doye (ainda por explicar) –, José Eduardo Simões prepara-se para se recandidatar, seguindo o projecto que, em 2002, abraçou ao lado de João Moreno. A seu favor, o dirigente tem, neste momento, o fortalecimento da equipa de futebol, onde o investimento e o retorno aumentaram consideravelmente, e a aposta nas camadas de formação, sobretudo depois da evolução do projecto da Academia Briosa XXI, nos campos do Bolão (com a colocação do tão ansiado sintético).

* In "Diário das Beiras"

domingo, 25 de março de 2007

Académica-2 V.Setubal-0 (Iniciados)

"Perdemos uma batalha, mas não perdemos a guerra." Certamente foi este o pensamento da equipa de Iniciados da Académica depois do desaire, no último fim-de-semana, em Leiria. E assim voltamos a mostrar a grande equipa que somos com uma enorme vitoria perante do Vitoria de Setúbal. Um golo cedo, depois de uma bonita jogada, João Pereira concretiza o 1º Golo. O jogo resumidamente sempre dominado pela equipa de Coimbra, com a equipa Sadina apenas a criar algumas situações de golo, resolvidas pelo Guarda-Redes (Renato) ou pela sua defesa. O 2º Golo, já no final do jogo, saiu de uma confusão na área com a bola a sobrar para, o recém entrado, Ivan que assim fixa o resultado final. Agora que venha o Benfica, próxima semana treinos no Bolão.

Um Abraço, Rui Lourenço.

Academica-2 V.Setúbal-0 (Iniciados)

Grande resultado e exibição da Académica hoje na Pedrulha. Daqui a pouco a crónica ao jogo do guarda-redes, Rui Lourenço.

sábado, 24 de março de 2007

Académica - Setúbal (Iniciados)

Joga-se amanhã pelas 11h, no campo da Pedrulha, a 2ª jornada da 2ª fase do Campeonato Nacional de Iniciados. A Académica recebe o Vitória de Setúbal, depois de na 1ª Jornada ter perdido em Leiria, com a equipa local por 2-0.
Vamos apoiar os nossos jovens e acreditar que ainda tudo é possível.
Todos à Pedrulha, amanhã às 11h

Oliveira do Bairro-2 Académica-5 (Particular)

A Académica deslocou-se hoje, pelas 10.30h ao Campo do Oliveira do Bairro, onde disputou um encontro de carácter particular.
A Briosa saiu vencedora por 5-2, tendo apontado os golos da Académica, Pitbull (2), Joeano, Nestor e Gyano.

Cento e Vinte anos da Académica


Hoje pelas 18h no Mini-Auditório Salgado Zenha, nas Instalações da Associação Académica de Coimbra, comemora-se os 120 anos da Associação Académica de Coimbra. Para isso foi convidada um Comissão de Honra que inclui os seguintes notáveis:

- Ex. Presidentes da República
- Ex. Magníficos Reitores
- Ex. Presidentes da Direcção Geral da Académica e da Assembleia Magna (Fernando Pompeu estará presente)
- Secções e Organismos


Pelo Futebol:

- Dr. Isabelinha (década de 30)
- Dr.Francisco Abreu (década de 50)
- Dr.Manuel António (década de 60/70) e bola de prata
- Dr. José Belo ( Presidente do Núcleo de Veterenos)
- Dr. Campos Coroa ( Ex. Presidente da AAC/OAF)

Nota: Porque será que o actual Presidente da AAC/OAF, não terá sido convidado?

Simões avança novamente *

Ainda sem data marcada, o próximo acto eleitoral da Briosa marca há muito a agenda dos bastidores do clube. José Eduardo Simões prepara a recandidatura à presidência.

José Eduardo Simões prepara-se para ir novamente a votos. Ao que apurámos, o actual presidente da instituição tem desenvolvido, nos últimos dias, contactos para a formação de uma lista de renovação do mandato. A renovação do contrato do técnico Manuel Machado, por uma época, num acordo assinado esta semana, veio reforçar a ideia de Simões em dar continuidade ao projecto actual. Também certo parece que a lista liderada por José Eduardo Simões não será a única a ir às urnas. Luís Santarino, um dos sócios mais interventivos nas últimas assembleias-gerais, já afirmou publicamente que se encontra disposto a avançar, tal como Álvaro Amaro e José Belo, outros dois nomes em carteira nesta altura. No que ao "dossier eleições" diz respeito, ainda não existem candidaturas oficializadas, quanto mais não seja porque esse mesmo acto eleitoral ainda não tem data definida, devendo ter lugar em Dezembro deste ano ou em Abril de 2008. A dúvida subsiste na sequência do falecimento do ex-presidente João Moreno, em Outubro de 2004, e da eleição dos corpos sociais ter acontecido dois meses depois. Uma situação inédita e que levanta agora várias interpretações dos estatutos, que prevêem, por um lado, mandatos de três anos, mas, por outro, que as eleições ocorram entre 1 e 15 de Abril do ano em que devam ter lugar. Ou seja, se, por um lado, Simões iniciou o mandato propriamente dito em Janeiro de 2005, por outro, foi eleito ainda... em 2004.

U. Leiria no horizonte
Entretanto, alheio às movimentações directivas do clube, o plantel continua a preparar a recepção à U. Leiria, marcada para o próximo fim-de-semana. Hoje de manhã, pelas 10H30, a Briosa disputa mais uma partida de carácter amigável, desta feita frente ao O. Bairro, depois do empate a zero ante o "satélite" Tourizense, no particular que aconteceu a meio da semana.

* In "Diário das Beiras"

sexta-feira, 23 de março de 2007

Sábado em cheio para os mais novos da Académica

Toc, toc.
Desculpem-me esta intromissão nas vossas discussões, mas não podia deixar passar esta oportunidade para dar conhecimento de dois grandes eventos nesta cidade relacionados com a Académica.
Os meninos da Escolinha Briosa têm amanhã, sábado, o II Encontro de Escolinhas Dr. João Moreno, a partir das 10h00, no Estádio Cidade de Coimbra, e na Adémia realiza-se, às 15h00, o Torneio Pedro e Inês, que conta com a participação das Escolas da Académica, do clube da Adémia (que promove a iniciativa) e do União de Coimbra.
Perspectiva-se um sábado muito animado para os mais jovens atletas da Briosa!
Meus senhores, podem (e devem) continuar com as vossas "denúncias e opiniões".

O direito à indignação

Muito se tem escrito e dito a propósito desta direcção. Não acho que valha a pena continuar a "bater no ceguinho". Ela está morta, precisando urgentemente de alguém que a enterre de vez. O mal que fez à Instituição durante a vigência do seu mandato fala por ela. A tentativa de por todos os meios, se agarrar ao poder, sem olhar aos malefícios causados, tornam-na moribunda, e acima de tudo perigosa. Esta direcção chegou a um ponto em que já não tem nada a perder. Bateu no fundo. MORREU!!!
Já estranho a factualidade de alguns a quererem ressuscitar, como quem o faz a um cadáver em decomposição. Não adianta. Escuso-me por agora a lembrar todas as demissões, as auto-suspensões, e os problemas que podem ainda manchar a nossa imagem.
Mas de que serve a crítica? Somente para uma coisa: alertar os poucos ainda incautos.
Esses, tal como escrevi num comentário, desesperam e branqueiam os últimos acontecimentos. De uma forma anti-democrática, de uma forma covarde, e mais do que isso, de uma forma incoerente.
Para eles a direcção tem razão, se mandar destruir um prédio, da mesma forma que se o mandar erigir.
Para eles, a direcção tem razão se despedir o treinador, da mesma forma que se renovar o contrato.
Para eles, é tão normal haver resultados, como não haver.
Para eles, o passivo é o mesmo, quer seja 0 ou 1000. E é isto que se vem a constatar há tempo demasiado.
Acusam quem critica esta danosa gestão, de não ser da Académica.
Assim, a oposição não deve existir. A Académica transformou-se num Salarazismo sucedâneo , sem qualidade, e com cheiro a bafio.
Era o que faltava. Imagine-se dizer que a oposição parlamentar não tinha sentido patriótico por se opôr ou criticar o 1º ministro. Ou seja, quem não é do PS não é Português.
Pior do que isso. Hoje é o PS, amanhã é o PSD.
Aqui na Académica nada difere, Quem critica esta direcção, não tem quaisquer responsabilidades pelo que tem acontecido. Nunca pertenci a nenhuma direcção e recusar-me-ei a fazê-lo SEMPRE!!! Para que fique bem entendido de uma vez por todas.
Agora ninguém, mas NINGUÉM me irá coartar a minha opinião e a livre crítica num País que se diz democrático.
Eu sou incomparavelmente mais da Académica do que o Presidente da Académica. E de quem o defende.
Tenho dito!

Apoios ao Dr. Luís Santarino crescem de dia para dia


O paracandidato Dr. Luís Santarino, ao que o Denúncias sabe, tem feito permanentes contactos, dentro e fora de Coimbra, sondando pessoas de enorme nível Académico, social e de notariedade nacional, com vista a sondar possíveis apoios à sua candidatura à Presidência da AAC/OAF.
O "Denúncias&Opiniões" sabe que há bem pouco tempo esteve em Aveiro reunido com o Dr. Nuno Tavares e Prof. António Lemos, tendo estes ficado entusiasmadíssimos com o seu projecto. Depois de João Francisco Campos, o "Denúncias" sabe também que o Dr. Luís Santarino recebeu apoios dos vários quadrantes políticos sem mencionar partidos, já que são todos, preparando-se assim para surpreender todos quantos querem uma Académica pela positiva.
Sabe-se que o paracandidato tem preparada uma importantíssima reunião com profissionais de futebol, empresários, e treinadores, de forma a receber conselhos importantes para que possa não só reunir consensos, bem como delinear uma estratégia de competência e profissionalismo que a Académica bem precisa.

Nota: Qualquer candidato ou paracandidato terá sempre notícias neste espaço. Assim dêem a cara.

Não é certo que Machado fique *

Seja qual for a classificação final, Manuel Machado pode não ser o treinador da Académica na próxima época. Apesar de ter havido uma altura em que as duas partes se mostravam interessadas em prolongar a ligação, hoje a situação é bem diferente. O técnico também tem razões de queixa – por ter de gerir, sem grande cobertura, a entrada de perto de 20 novos jogadores ou não lhe terem dado, através do mercado de Inverno, os reforços indispensáveis, caso de um defesa-direito –, mas é maior a insatisfação da Direcção, que vê defraudadas as suas expectativas. A ideia, ao contratar um treinador experiente e com obra feita em mais do que um clube, era a de conseguir, pelo menos, uma época tranquila, na primeira metade da tabela. O actual 13.º lugar, não muito longe da zona de descida, prova, no entanto, que esse objectivo não foi conseguido, com a Briosa ainda envolvida na luta pela permanência e, como sempre, a disputar autênticas finais, para desagrado da massa associativa - que, de resto, já o fez sentir aos dirigentes e ao próprio treinador. A confirmar-se o afastamento de Manuel Machado, que até pode estar de regresso ao banco do Guimarães, o seu substituto deve sair de uma lista que inclui, entre outros, os nomes de Daúto Faquirá – do Estrela da Amadora –, Rogério Gonçalves e Carlos Carvalhal (ambos sem clube).

* In " O Jogo"

quinta-feira, 22 de março de 2007

Sonkaya com processo disciplinar...

...E Dame?

José Eduardo Simões baralha, torna a baralhar e...dá

Comecemos pelo princípio:

Ao comentar uma notícia vinda a público no blog "Rapazes de Preto" sabia do que estava a falar. Rogério Gonçalves não seria o treinador da Académica.
Não vou responder a cromos, ou que não estejam em Portugal ou simplesmente "artistas" em "part-time".
Não queria entrar em pormenores, mas não me resta outra hipótese. Vamos aos factos:

1- Numa das últimas reuniões da direcção, o Presidente José Eduardo Simões perguntou aos seus Vice-Presidentes o que achavam de Daúto Faquirá.
2- Um dos Vice-Presidentes pôs o nome de Paulo Sérgio (treinador actual do Santa Clara) em "cima da mesa" e José Eduardo Simões disse que não conhecia. Daúto Faquirá foi "sondado" (contactado).
3- A rapidez da escolha, assim como o seu timming, são indiciadores que a "vox populis" tem toda a razão de existir. José Eduardo Simões tinha como "fito", despedir Manuel Machado caso este tivesse perdido nas Aves.
4- Manuel Machado garantiu, há bem pouco tempo aos microfones da RUC, que só no final da época se saberia se ia ou não renovar contrato. Afinal "algo" falou mais alto. Quem? Como? Porquê?
5- Com que direito José Eduardo Simões contrata ou renova um contrato de um treinador por mais tempo do que vai o seu mandato?
Para que serve então os conselhos dos seus Vices, se mais uma vez se comprova que o Presidente baralha, torna a baralhar e acaba por dar?
6- Por fim resta desejar a Manuel Machado o melhor trabalho possível, sendo que a sua palavra foi por água abaixo, no que a todos os que ouviram o programa "Prognósticos", diz respeito.
7- O que dirão agora aqueles, que ainda há minutos felicitaram o Presidente pelo facto de já ter novo treinador?

Homenagem a Guilherme Luís

GUILHERME LUIS
(MASSAGISTA)
DIA 21 DE ABRIL DE 2007

ESTÁDIO CIDADE DE COIMBRA


11.00 Horas
Futebol – ACADÉMICA / UNIÃO DE COIMBRA
(VETERANOS)

13.00 Horas
ALMOÇO NA SALA VIP DO ESTÁDIO

14.00 Horas
HOMENAGEM

15.00 Horas
MÚSICA DE COIMBRA

Comissão Organizadora

Clube da Comunicação Social de Coimbra
Francisco Andrade (Presidente da Junta de Freguesia dos Olivais)
Luís Previdência (Vereador do Desporto da C.M. de Coimbra
Núcleo de Veteranos da Académica (Dr. José Belo)
Núcleo de Veteranos do União de Coimbra (Dr. Juiz João Trindade)
Ramiro Santiago


LOCAIS DE AQUISIÇÃO DE CONVITES
Associação de Futebol de Coimbra
Clube da Comunicação Social de Coimbra
Estádio Cidade de Coimbra
Junta de Freguesia dos Olivais
Quiosque Sousa (Largo da Portagem)
(Convite - 23 MASSAGENS)

Rui Silva comenta o FCPorto-3 Académica-0

“Na análise da nossa derrota por 3-0 no campo do FC Porto, começo por onde costumo terminar: a dar os parabéns aos nossos jogadores pela forma fantástica como se bateram e por terem dignificado – e de que forma - o nome da Briosa ao longo do jogo. E porque começo por aqui? Porque apesar de uma série de contrariedades antes e durante o jogo, os nossos jogadores tudo fizeram para vencer o jogo e foram sempre humildes, unidos e com uma personalidade fora do vulgar para jovens desta idade. Tudo começou com a avaria do nosso autocarro logo de manhã, ainda na auto-estrada, o que implicou que tivéssemos - à pressa - que arranjar um restaurante que às 11 horas, e sem contar, servisse o almoço a toda a comitiva. Louve-se o empenho dos seccionistas presentes e das pessoas que, em Coimbra, tentaram (com sucesso) resolver as questões da alimentação e do transporte. Mesmo assim, os jogadores só iniciaram a refeição perto do meio-dia (deveria ter-se iniciado às 11 horas), tendo terminado já depois das 12h30m, ou seja, a menos de 2 horas do início do aquecimento.Depois, o jogo: entrámos muito bem, para vencer, a jogar de igual para igual com o FC Porto, com excelente posse e circulação de bola (ao contrário dos jogos anteriores, em que marcámos cedo e não tivemos posse de bola), defendendo muito bem, trocando a bola com grande classe e personalidade, e atacando com perigo – a 1ª grande oportunidade de golo foi nossa, logo aos 2 minutos, mas o Traquina adiantou muito a bola e, na altura do remate, um defesa adversário cortou para canto. Estávamos bem, a jogar “olhos nos olhos” com o adversário, confiantes que poderíamos (e queríamos) vencer. O jogo estava repartido mas, aos 16 minutos, a 2ª contrariedade do dia. E de que monta... Após uma jogada confusa na nossa área, e após uma série de ressaltos, um remate já na pequena-área bate no peito do nosso guarda-redes e é desviado contra o braço do central Fábio, que estava em cima da linha de golo. O árbitro assinalou, bem, grande penalidade. Mas tomou uma decisão da qual discordo: expulsou o nosso jogador. Discordo porque não houve intenção do Fábio de cortar a bola, o remate é a 2 metros e ainda sofre um desvio no guarda-redes, ele nem sequer teve tempo de mexer o braço. O FC Porto concretizou a grande penalidade e, assim, restavam 74 minutos para jogar. Se jogar em casa do FC Porto 11 contra 11 e com 0-0 já não é fácil, imagine-se jogar 10 contra 11, a perder, com tanto tempo para jogar. Sim, porque com menos um jogador, tanto tempo para virar um resultado é, nestas circunstâncias, muito penalizador. Exige um esforço muito maior de cada atleta, o espaço a percorrer por cada um é enorme, o cansaço vai surgindo e vai-se acumulando. Ficámos a jogar só com 3 defesas mas mesmo assim reagimos bem e atacámos muito, tivemos alguns remates, cantos e livres que nos levaram a supor que poderíamos chegar ao empate ainda na 1ª parte. No entanto, aos 30 minutos, na sequência de um lance ofensivo da nossa equipa, sofremos o 2º golo num contra-ataque rapidíssimo, que poderíamos – e deveríamos - ter parado na zona de meio-campo. Não o fizemos e sofremos o 2-0.

Para a 2ª parte rectificámos alguns posicionamentos, redefinimos a estratégia e entrámos com o intuito de reduzir a desvantagem, primeiro, e, depois, tentar chegar pelo menos ao empate. Os nossos miúdos bateram-se muito bem, com grande entreajuda defensiva, mas o FC Porto fazia uma grande circulação de bola a todo o campo, o que nos desgastou muito nos processos defensivos e nos foi limitando as acções ofensivas. Refrescámos o ataque – retirámos um médio e um ponta-de-lança (o Traquina, completamente esgotado pelos 2 jogos pela Selecção Nacional durante a semana) e colocámos 2 avançados. Dispusemos de 3 ocasiões flagrantes para marcar: uma pelo recém-entrado Nivaldo que se isolou mas, não fosse o diabo tecê-las, logo a bandeira de “fora-de-jogo” (inexistente) subiu. Depois, mais perto do fim, o também recém-entrado Heldon isolou-se na área e, por duas vezes na mesma jogada, permitiu a defesa do guarda-redes. As forças já começavam a faltar e a 5 minutos do final, na sequência de um passe errado a meio-campo, o FC Porto fez o 3-0, com a nossa equipa já muito cansada e a jogar com 9 (estava um jogador a ser assistido). No entanto, e como é lógico, o FC Porto também dispôs de oportunidades para aumentar, que não aconteceram devido ao grande empenho dos nossos jogadores.

Em resumo, um jogo que queríamos vencer mas que, pelas circunstâncias, se tornou muito complicado para nós.

Parabéns, mais uma vez, aos nossos miúdos, que 11 contra 11 mostraram grande classe, e 10 contra 11 tudo fizeram para alcançar o melhor resultado possível, batendo-se com muito brio. Foram, acreditem, muito BRIOSOS os nossos jogadores, temos que estar orgulhosos deles.

Ainda faltam 5 jornadas, e tudo faremos para conseguir o apuramento, apesar de neste momento não dependermos só de nós, pois paramos na próxima jornada. Mas “o sonho comanda a vida” e enquanto for matematicamente possível, contem connosco.”

Mas que vergonha é esta?

Nem quero acreditar. Numa altura em que a Académica luta para não descer de divisão,em que o Presidente deveria dar o apoio possível e impossível a este treinador e jogadores, o que se passa?
A Académica já contactou treinador para o ano!!!
Apesar de os "Rapazes de Preto" falarem num nome, que estamos longe de confirmar, a verdade é que sabemos que vários treinadores foram cantactados, tendo um deles já aceite o cargo.
Pode o Sr. Presidente negar tudo isso. Mas é a mais pura das verdades!!!
Vamos lá ver se nos entendemos: Será que o Presidente da Académica não sabe que os treinadores sabem tudo uns sobre os outros? Pensará, que é mais "esperto" do que toda a gente?
Não terá noção do mal que está a fazer à Académica, fazendo desmotivar o treinador, bem como os jogadores ao ter actos destes?
Será que tem a certeza de quando são as eleições, de forma a fazer os disparates mais absurdos, para que quem venha a seguir, ter de desfazer toda uma série de trapalhadas?
Tome atenção Sr. Presidente. Os sócios estão atentos. Não queira saír da Académica de uma maneira ainda pior daquela que tem como destino!!!

Sonkaya critica Machado e direcção *

Da selecção turca à bancada em Coimbra. Assim se podem resumir os últimos anos da carreira de Sonkaya. Sem jogar e credor da renda de casa há mais de cinco meses, o turco assume o “pesadelo”.

Vestiu a camisola da selecção turca, passou pelos relvados da 1.ª liga holandesa e pelo Besiktas, feitos que o tornaram uma opção pessoal de Co Adriaanse, ex-técnico do FC Porto. Porém, Fatih Sonkaya não ganhou um lugar de destaque ao serviço dos dragões e acabou dispensado no final da temporada. A Académica garantiu- -o, por empréstimo, numa altura em que precisava de um lateral-direito para aperfeiçoar o plantel. A expectativa da maioria dos adeptos academistas, apesar de Sonkaya ter falhado na Invicta, era grande, até pelo passado do jogador. Contudo, depois de integrar o “onze” de Machado nas jornadas iniciais da Liga, Sonkaya “desapareceu” da equipa, a partir da 6.ª jornada. Depois, só voltou a ser convocado em mais quatro jogos oficiais, mas não saiu do banco de suplentes. Nem a lesão de Nuno Luís, titular no lado direito da defesa em vários jogos consecutivos na 1.ª volta, abriu uma “vaga” a Sonkaya, que, desde há muito tempo, não reúne as condições necessárias para competir – Machado sempre o deu a entender publicamente. Sem corresponder nas quatro linhas, com um rendimento modesto quando foi chamado ao “onze”, o factor motivação tem também condicionado a temporada do turco. Por exemplo, ao contrário do que tinha ficado definido no início da época, há mais de cinco meses, o turco não recebe o valor mensal correspondente à sua renda de habitação em Coimbra. “Se não gostam de mim, digam-me logo, cara a cara, e nesse caso, vou-me embora. Agora, nunca falam comigo, nem sequer pagam a renda da minha casa, ao contrário do que tinha ficado combinado”, lamenta o jogador que alarga as críticas a Manuel Machado: “se estivéssemos a vencer, percebia que ele não fizesse mudanças na equipa, agora perdemos quase sempre e, mesmo assim, continuo sem jogar. Se soubesse que ia ser assim, tinha ficado no Porto, porque para treinar e não jogar, mais valia ter lá ficado”. Sonkaya, na sua “pior época de sempre”, assume-se, ao DIÁRIO AS BEIRAS, “muito desapontado”, pela “falta de respeito que este clube tem demonstrado”.

Academia em discussão
Tal como foi avançado ontem, a próxima assembleia geral do clube terá lugar dia 11, ainda sem ordem de trabalhos oficializada. Ao que apurámos, para além da apreciação e votação do relatório e contas, também a Academia Briosa XXI, será um dos pontos da próxima reunião de associados. Entretanto, em jogo particular, a Académica empatou ontem, sem golos, em Tábua, frente ao “satélite” Tourizense.

* In "Diário das Beiras"

Tese de Almeida Santos: Académica com eleições este ano *

O presidente da Mesa da Assembleia Geral da Académica/OAF defendeu ontem, em declarações ao “Campeão”, que a próxima eleição dos órgãos sociais do clube deverá ocorrer perto do final deste ano.

A partir de Maputo (Moçambique), António Almeida Santos negou rumores de que o sufrágio seja convocado para o primeiro semestre de 2007 e também se inclinou contra a sua realização em 2008.

O plenário de sócios reunir-se-á a 11 de Abril para votar as contas inerentes ao segundo semestre de 2006 e apreciar aspectos relacionados com a construção da Academia Briosa XXI.

Perante o falecimento do anterior presidente da Direcção, João Moreno, em Outubro de 2004, os actuais corpos sociais foram eleitos em Dezembro desse ano. Neste contexto, há quem sustente que a eleição dos próximos órgãos devia ocorrer em Abril de 2007 e quem entenda que a mesma só tem lugar dentro de um ano.

Há um mês, José Eduardo Ferraz, em carta aberta dirigida a Almeida Santos e inserida no blogue “Pardalitos do Choupal” (de que é editor), pedia ao presidente da AG para fazer a sua própria interpretação dos Estatutos relativamente à data das eleições e assim esclarecer os sócios.

“Sei que o tema não é pacífico e sei-o também que para muitos não será oportuno. No entanto, vendo que os nossos Estatutos são interpretados ao belo prazer de interesses não académicos, solicito que Vª. Exª. perca algum tempo na sua interpretação no quanto às eleições diz respeito”, pediu o associado.

De acordo com a interpretação de José Eduardo Ferraz, as eleições deviam realizar-se em Abril próximo. Partindo do princípio de que em 2007 termina o mandato da Direcção, o referido sócio invoca o artigo 46.º dos Estatutos, cujo teor estipula que o sufrágio para os órgãos sociais decorra no período de 01 a 15 de Abril do ano em que deviam ter lugar.


* In "Campeão das Províncias"

quarta-feira, 21 de março de 2007

Tourizense- 0 Académica-0

A Académica empatou hoje em Tábua, num jogo particular, frente ao clube satélite, por 0-0.
No próximo sábado jogamos em Oliveira do Bairro pelas 10.30h da manhã.

ESTATUTICES

Nos " Pardalitos do Choupal " noticiava-se que o Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral decidira convocar a Assembleia Geral da AAC/oaf para o próximo dia 11 de Abril.
Assim será, certamente.
Todavia importava que fossem clarificados alguns aspectos obscuros.A saber:
Que tipo de Assembleia reunirá a 11 de Abril? A ordinária, que de acordo com os Estatutos - artº 59º nº 2 - deveria reunir até 31 de Março de 2007 para apreciação e votação do relatório e contas da direcção, bem como os pareceres e relatórios do conselho fiscal e do revisor oficial de contas? Ou a extraordinária ? E se for este o caso a requerimento de quem ? Da direcção ? Do Conselho Fiscal? Do Conselho Académico? De, pelo menos, 25 sócios efectivos no pleno gozo dos seus direitos?
E, já agora, com que ordem de trabalhos?
De uma coisa estou absolutamente seguro: os Estatutos, que impõem a realização da Assembleia Geral Eleitoral na 1ª quinzena de Abril - artº 59º nº 3 - não vão ser ( mais uma vez ) respeitados. E logo pelo Sr. Presidente da Mesa da Ass. Geral que é quem deveria ser o seu garante e zelador, conforme impõe o artº 65º. Porquê? Porque a convocatória para a Assembleia Eleitoral deve ser efectuada com 45 dias de antecedência do dia que for designado para o acto - artº 61º § único.
Entretanto, no sítio oficial da AAC/oaf " moita carrasco ".
ACADÉMICA,ACADÉMICA,ACADÉMICA,VAMOS AO GOLO MALTA!

terça-feira, 20 de março de 2007

Ingratidão asquerosa


José Viterbo já não é treinador do Sourense. Depois de duas épocas e meia de sucessos desportivos, depois de doze jogos sem perder, depois de estar a um único ponto da subida, o Zé foi dispensado.
No ano passado, lembro, esteve meses a fio sem receber um tostão, assim como a equipa, e foi o Zé Viterbo que conseguiu o milagre de ninguém abandonar.
Este ano perspectiva-se o mesmo. O futebol é assim: não é grato, não reconhece quem tem mérito, e acima de tudo maltrata quem é profissional, exigente e sabedor.
Fica a saber grande Zé Viterbo, que os teus amigos estão contigo. De alma e coração. Talvez até tenha sido bom. Tu mereces mais, e vais tê-lo. Isso te garanto!
Abraço do amigo

João Francisco Campos apoia Luís Santarino

Na entrevista de ontem à noite na RUC, assistiu-se a um momento que eu acho muito curioso e diz bem da qualidade do discurso do Dr. Luís Santarino.
Já no fim do programa, e em directo, João Francisco Campos, que pertence ao Conselho Académico, e fez parte da Comissão de Gestão na altura do Dr. João Moreno, para além da sua importância na Mancha Negra, declarou em directo, que votaria no Dr. Luís Santarino, caso este fosse a votos.
Uma curiosidade, mas também um reforço de peso.

segunda-feira, 19 de março de 2007

Santarino no "Prognósticos"

Acabou há momentos a entrevista a Luís Santarino ao programa "Prognósticos" da Rádio Universidade de Coimbra.
De uma forma breve, podemos dividir a entrevista em duas partes distintas. Na primeira , tivemos um Luís Santarino que, com o seu timbre de voz característico, e de forma apaixonada, nos trouxe, acima de tudo, uma forma de sentir e entender a Académica, completamente distinta da dos actuais dirigentes. Luís Santarino pretendeu mostrar-nos que a sustentabilidade da Académica tem, obrigatoriamente, que passar pela manutenção dos seus valores, numa comunhão com todos; com a cidade, com o país, com a Academia.
A segunda parte da entrevista, trouxe-nos um Luís Santarino mais virado para os aspectos pragmáticos, definindo o modo como deve funcionar a Académica. Antes, porém, salientou uma série de erros de gestão cometidos pela actual direcção, tendo apontado as "três faltas" graves: "falta de transparência", "falta de capacidade de gestão" e "falta de estratégia desportiva".
Santarino considerou ser fundamental ter uma direcção com uma colaboração estreita e permenente com o Conselho Fiscal e a Assembleia Geral. Salientou ser importantíssimo ter, para além dos corpos dirigentes, um grupo de pessoas que colaborem em diversas áreas (economistas, gestores, juristas, etc), bem como existirem, entre a direcção, jovens que façam a ponte com a Academia. Também, com Santarino, o Conselho Académico estará sempre próximo.
Como é evidente, ao longo desta interessante entrevista, muitos outros pontos foram abordados, mas, na minha opinião, o que sobressaiu foi o facto de Luís Santarino ter mostrado já ideias bem definidas sobre o modelo que pretende.
Esperemos que o debate sério e construtivo sobre a Académica, tão preciso, tenha começado esta noite.
Viva a Académica!

Dr. Luís Santarino hoje no "Prognósticos"

Hoje à noite, o convidado principal do programa "Prognósticos" na Rádio Universidade de Coimbra, será o presumível candidato a Presidente da Académica, Dr. Luís Santarino.
Pode o leitor ouvir o programa a partir das 21h através da frequência 107.9 ou através do endereço electrónico www.ruc.pt.
Os ouvintes poderão participar no programa através de mail, ou através de telefonemas. O nr é o 239410427.
Para já, podem os leitores deixar algumas perguntas que gostariam de ver respondidas pelo convidado.

Técnicos comentam o jogo

Neca (treinador do Desp. Aves):

«O golo do Filipe Teixeira, mais do que um balde de água fria, foi um balde de água gelada. Entrámos como uma equipa que sabe que está a crescer. Temos feito bons jogos e podíamos ter vencido a Académica. Dominámos até aos 25 minutos, tivemos duas ou três boas oportunidades, mas faltou-nos tranquilidade e maturidade. Num lance de bola parada, quando os meus jogadores estavam à espera do apito do árbitro, o jogador da Académica surpreendeu-nos. Ficámos intranquilos e esperámos pelo intervalo, para corrigir. Na segunda parte, pedi-lhes para não entrarem em pânico. Chegámos ao empate e pensámos que era possível vencer. Fizemos o 2-1 numa boa jogada e acreditámos que estávamos seguros. Mas a vontade era tão grande que nos faltou lucidez e deixámo-nos empatar. É completamente injusto para aquilo que fizemos. Mas o futebol é assim mesmo».



Manuel Machado (treinador da Académica):

«O empate acaba por ser positivo, pois esta divisão de pontos deixa tudo na mesma e falta menos um jogo. Além disso, estivemos a ganhar e depois a perder, por isso, aceito o resultado. O jogo valeu mais pelos aspectos emotivos do que técnicos. Não vale a pena estar a branquear a situação das duas equipas na classificação, pois essa factor é limitativo. Não se pode esperar muito mais audácia, por isso mesmo. A estratégia das duas equipas passava por não serem surpreendidas. Ao intervalo saímos na frente e no segundo tempo tentámos gerir mas não fomos eficazes e eles empataram. Com a expulsão foi mais complicado, mas tivemos uma pontinha de felicidade no fim».

domingo, 18 de março de 2007

Uma lástima!

Já cheguei das Aves há algum tempo, e só me ocorre este título, que foi repetido por todos os Académicos presentes no Campo das Aves. A Académica deve ter protagonizado a exibição mais medíocre da época. Valeu-nos o facto de a equipa adversária ser sem dúvida a mais fraca da Liga.
Testemunhei um treinador medroso, uma equipa tímida, e uma táctica que ainda não percebi.
Ora vejamos. Quando ligo ao Nuno para dizer-lhe a equipa faltava-me um jogador, como ele próprio poderá confirmar. Estavam dez a aquecer, mais o Douglas. Quando a equipa entrou, "trazia" Medeiros como central. Das duas uma; ou algum atleta não estava a 100%, ou em cima do jogo Manuel Machado ainda estava com dúvidas. Ainda ponho como hipótese outro facto. Cheguei ao estádio às 14,25h e já tinham aquecido antes e Medeiros já estava a equipar-se...
A equipa entrou, assim, com Medeiros e Litos como centrais, e Kaká a lateral esquerdo, estando na direita Paulo Sérgio, e Lino como ala.
Brum e Alexandre, como trincos, Miguel Pedro na direita, Filipe Teixeira na esquerda, e Dame flectia para o centro.
As confusões de Marcações começaram logo no início, A Académica não jogava com nenhum ponta de lança de raiz, mas o Aves também não. Ora assim, sobrava um central, já que a defender Lino recuava e Kaká ia para central. O Aves não produzia grande jogo ofensivo, mas a Académica não era capaz de fazer uma única transição defesa/ataque. Ora por perdas de bola incríveis no meio campo, ou porque os lançamentos de Litos e Medeiros, iam parar tranquilamente à defesa avense. No único remate à baliza, já no dealbar da 1ª parte a Briosa marca. Na hora H.
Naturalmente ninguém pensou que o jogo estava ganho, mas o que se ia seguir deu para perceber porque a Académica não sai desta intranquila posição. Lino "rebentou" aos 50'. Nem corria e mal andava. Alexandre (com um amarelo) e o Aves a atacar pelo lado direito, tremia, assim como Kaká. Que faz Manuel Machado? Põe Joeano e Pitbull e deixa Lino e Alexandre em campo. Esteve mal o treinador. A partir daí, foi um constante atacar do Aves e a Académica não segurava uma bola. Deu-se o empate, Alexandre é expulso e o Aves fica a ganhar a 5 minutos do fim. Sorte a nossa, ter jogadores como Filipe Teixeira, que num golpe de cabeça, conseguiu que não ficássemos numa posição desesperante. Quer-se mais e melhor. Ao fim de 22 jornadas, a Académica não pode jogar tão pouco, e o treinador não pode "inventar" tanto.

Pedro Roma-(2) Não ficou bem no lance do 1º golo.
Paulo Sérgio (2) Dá o que tem. Mas o que tem é muito pouco.
Litos (3) O melhorzinho da defesa
Medeiros (2) Fraco de cabeça, mau de pés. Uma contratação absolutamente falhada.
Kaká (2) Um suplício a 2ª parte, com a entrada de Hernâni.
Lino (2) Acabou aos 50 minutos.
Brum (3) Dos menos maus.
Alexandre (2) Não pode nem deve fazer faltas infantis quando já está "amarelado"
Dame (2) Valeu o golo. Aquela "cabecinha" deve andar muito confusa...
Miguel Pedro (2) Sem qualquer tipo de agressividade. Muito macio
Filipe Teixeira (4) Faz claramente a diferença. O melhor jogador em campo.

Joeano (2) A lesão deixou-o fisicamente em baixo.
Pitbull (2) Bom centro para o 2º golo.
Piloto (2) Ajudou a segurar o Aves.

Manuel Machado (2) Quem tem medo compra um cão...
Olegário Benquerença (1) Em caso de dúvida sempre contra a Académica

F.C.Porto 3 - Académica 0 (Juniores)

A Académica perdeu, esta tarde, por 3 - 0 com o F.C.Porto. Logo aos dezassete minutos foi assinalada uma grande-penalidade contra a nossa equipa. O F.C.Porto fez o 1 - 0 e o nosso jogador Fábio foi expulso. Assim, as coisas tornaram-se, desde logo, muito complicadas. De qualquer forma, o Grupo do Prof. Rui Silva, apesar de reduzido a dez, lutou sempre até ao último segundo, jogando, mais uma vez, com muita determinação e dignidade.

D.Aves 2 - 2 Académica

LIGA BWIN - 22ª JORNADA
15H - RUC


Equipa do Aves (Treinador: Neca)
Nuno; Anilton Junior, Sérgio Nunes, William e Pedro Geraldo; Filipe Anunciação, Mércio e Jorge Ribeiro; Leandro Octávio e Paulo Sérgio

Equipa da Académica (Treinador: Manuel Machado)
Pedro Roma; Paulo Sérgio, Litos, Kaka, Medeiros e Lino; R.Brum e Alexandre; Miguel Pedro, Dame e Filipe Teixeira

Árbitro: Olegário Benquerença

(A tarde está esplêndida. Muito sol, temperatura agradável e um relvado aparentemente em boas condições. A bancada de sócios do Aves está lotada enquanto que de Coimbra, cerca de 100 elementos fazem a festa)

4' - O Aves começa melhor. Já teve um canto a favor e um remate algo perigoso.
7' - Livre de Dame com a bola a ser desviada para canto. Lino bateu o canto para corte de Filipe Anunciação.

A Académica apresenta-se hoje com mais alterações na defesa. Kaka joga a lateral esquerdo enquanto que a dupla de centrais é Litos/Medeiros. Com 12 minutos de jogo, registo apenas para o grande volume de faltas registado pelos centrais da Académica, principalmente Medeiros.

15 - Cartão Amarelo para Medeiros. Adivinhava-se... Livre para o Aves. Jorge Ribeiro atirou contra a barreira. Canto. Na sequência, remate de Leandro para fora.
17 - Cartão amarelo para Alexandre por travar um contra-ataque.

26' - Boa combinação entre Dame e Miguel Pedro a dar canto. Canto marcado por Lino e Sergio Nunes a cortar. Na ressaca Filipe Teixeira atira torto.
29' - Livre de Anunciação para defesa segura de Roma.
33' - Que perigo. Dame combina com Filipe Teixeira e este rematou com a bola a embater num corpo de um adversário. Foi a jogada mais perigosa para a Académica.
37' - Remate de Dame para uma boa defesa de Nuno. A Académica começa a pegar no jogo...
38' - GOLOOOOO!!!!! BR-BRI-BRIOSA!!!!! Dame N'Doye! Golaço! Um estoiro de livre lá para dentro!
40' - Boa defesa de Roma!! Remate perigoso de Paulo Sérgio.
42' - Contra ataque perigoso conduzido por Dame, com Nuno a safar o Aves do segundo da Briosa.

Intervalo. Depois de uma entrada algo temerária por parte da Académica, os pretos equilibraram o jogo e chegarem mesmo ao golo. Manuel Machado voltou a baralhar as peças no onze da Briosa mas, até agora, está a ser bem sucedido. Vamos lá segurar isto!

51' - Livre perigoso para o Aves. A bola passou perto perto perto. Filipe Anunciação rematou e deu mesmo a sensação de golo.
56' - Canto para o Aves com Roma a sacudir. Filipe Anunciação, na recarga, atirou por cima.
58' - Entra Artur Futre e Hernâni. Neca a por a carne toda no assador. Saídas de Paulo Sérgio e Leandro.

O Aves está a carregar bastante, a Académica encontra-se remetida à sua defesa. Talvez refrescar o ataque e deixar os defesas do Aves mais presos ao seu meio campo não fosse má ideia.

63' - Manuel Machado tira Dame e coloca Joeano.
64' - Remate de Joeano com Nuno a fazer uma defesa incompleta. Jogo muito rápido nesta altura do jogo. Canto para a Académica quando Joeano tentava cruzar. Entrou bem o Brasileiro. Lino bateu o canto para corte de Pedro Geraldo. Novo canto.. Lino cruza, cortou William. Grande confusão com Medeiros a atirar por cima.
67' - Entra Pitbull para o lugar de Miguel Pedro. Manuel Machado responde a Neca com a introdução de dois atacantes.

Beira Mar 1 - 0 Marítimo. U.Leiria 0 - 0 Vitória de Setubal. Tudo certo se a Académica cumprir hoje.

70' - Golo do Aves. Jorge Ribeiro de livre.
73' - Artur Frute fintou 3 defesas da Académica com Pedro Roma a safar a sua equipa.
76' - Mais difícil a tarefa para a equipa da Académica. Segundo cartão amarelo e consequente expulsão para Alexandre.
79' - Entra Nuno Piloto para o lugar de Lino.
80' - Última alteração no Aves. Diego Gama entra. Octávio sai.
84' - Hernâni a dar a volta ao marcador. Vida muito difícil.
89' - GOLOOO!!!! FILIPE TEIXEIRA!!!!!! EMPATE DA ACADÉMICA
91' - Pitbull perto da reviravolta. Só falta mais um defesa para ficar cara a cara com Nuno. O jogo ainda não acabou.

Final da partida na Vila das Aves. Depois de uma primeira parte tranquila da equipa da Académica, o Aves conseguiu a cambalhota no marcador. Com um jogador a menos, a Académica conseguiu o empate para mesmo no cair do pano. Mais importante que somar um ponto, foi o facto do Aves ficar praticamente arrumado.

Iniciados: U.Leiria 2/0 AAC

Depois de 21 jogos consecutivos sem saber o sabor da Derrota, voltou a acontecer, fomos perder duas bolas a zero com o União de Leiria. Apenas sei o resultado, mas acredito que ainda é possivel sonhar com uma boa classificação na 2ªfase.

Um Abraço, Rui Lourenço

Vitória precisa-se

A partir das 15h, as equipas do Aves e da Académica vão entrar em campo para um jogo muito importante, onde muita coisa pode ficar definida.

Em caso de vitória por parte da Académica, a Desportivo das Aves vai ficar com as contas muuuito complicadas para assegurar a manutenção. Em caso de derrota da Académica, o desânimo e desmotivação que pode assolar o plantel da Briosa, pode proporcionar um final de campeonato doloroso e imprevisível. O empate não interessa a ninguém, mas com o decorrer do jogo, se for um resultado menos mau para a Académica, ao menos tem o condão de afastar o Aves quase irremediavelmente da liga Bwin 2007/2008.

A nossa equipa deve fazer algumas alterações na defesa em relação ao último jogo, entrando Litos para comandar a defesa Negra e Lino deverá voltar, mais uma vez, à posição de lateral esquerdo. Brum e Alexandre devem ter a companhia de Dame e FTeixeira, enquanto que Joeano, previsível titular, poderá contar com o apoio de Claúdio Pitbull ou Miguel Pedro. Sílvio, que se estreia nas convocatórias, também poderia ser opção para essa vaga no ataque, mas Manuel Machado não deverá apostar já no jovem ex-Tourizense.

Do lado da equipa da Vila das Aves, que muito se reforçou no mercado de Inverno, o destaque vai inevitavelmente para o guardião Nuno, para o médio Filipe Anunciação e o jovem emprestado pelo Sporting e ex-Académica, Paulo Sérgio. É uma equipa que vai entrar em campo com alguma pressão e, se o início do jogo correr de feição para a equipa da Briosa (exactamente o oposto que tem acontecido ultimamente), a vitória é um resultado mais que possível para os homens de Coimbra.

É hoje, Domingo às 15h, com bom tempo e viagem barata. Quem não pode ir (como o meu caso), pode ficar ligado aqui, no Denúncias e Opiniões, onde vai poder acompanhar em pormenor, todas as incidências do jogo de mais logo.

Que regressem com uma vitória!! Força Briosa!!

sábado, 17 de março de 2007

Derrota

O estádio está quase cheio mas parece vazio.


Ele sente-se completamente sozinho, no meio da decepcionada multidão. A claque - pouco animada - canta, torcendo para que os 10 minutos finais sejam preenchidos por futebol da qualidade da Premier League. Eles querem que ainda haja golos, que ainda haja festa... Mas ele não. Ele quer que o jogo acabe, quer desaparecer, quer desligar o que assiste, quer sair dali, quer esquecer. Desiludido, questiona-se se ainda vale a pena todo aquele esforço, toda aquela devoção... Segue com o olhar a fila dos desistentes, que abandonam o estádio...

Levanta-se, repentinamente, para ver se a jogada que decorre dá golo... Não!

"Ohhhhhhh..."

Aplausos. Aplausos de decepção. Aplausos que pedem mais. Aplausos de misericórdia. Querem-se golos, querem-se jogadas bonitas, querem-se vitórias. Exige-se isso ao treinador, exige-se isso ao presidente, exige-se isso à equipa. Mais não se pode fazer, os palavrões esgotaram-se, as cordas vocais estão gastas. A sensação de traição corrói o coração, enquanto os adeptos adversários festejam. A equipa adversária desperdiça o pouco tempo que sobra, brinca com a paciência dele... Até o árbitro libertar o doloroso apito final.

0 pontos. Mais uma derrota, mais assobios, mais lenços brancos. O caminho até à saída do complexo desportivo parece o corredor da morte. Apesar de desatento, ouve os palpites dos treinadores de bancada. Ofendem o mister, ofendem o árbitro, ofendem alguns jogadores. Decide escutar os jornalistas da rádio que não se mostram impressionados. A equipa promete o mesmo de sempre: manter a cabeça erguida e começar a preparar a próxima partida.

"Bah!" - desliga o pequeno rádio e enrola os headphones - "Se não ganhamos para a próxima, isto complica-se...", diz um dos treinadores de bancada, enquanto ajeita o cachecol gasto, quase sem cor, de tanto uso.

A porta de casa fecha-se, triste. Ele não quer saber mais de futebol mas a televisão insiste em repetir a derrota desta tarde - em quase todos os canais, outra vez e outra vez. "Vitória justa", repetem eles. Sem acreditar nas sinceras palavras dos telejornais, desliga a televisão e tenta esquecer a miséria... Até ao fim-de-semana seguinte.


ACADÉMICA, por favor, vamos lá a acabar com estas histórias, sim?