segunda-feira, 30 de abril de 2007

Jogadores um a um


Pedro Roma (5)- Grande exibição. Fantástico. Atrasou por várias vezes o golo do Braga.

Sarmento (2)- Revelou dificuldades defensivas. Teve um ou outro apontamento ofensivo positivo.

Litos (3)- Eficaz.

Káká (1)- Se foi exagerada a sua expulsão, não deve, num jogo tão importante e sabendo que já tinha um amarelo, protestar as decisões do árbitro. Vinha a fazer um bom jogo. Nota negativa por ter sido decisivo na forma como condicionou as opções treinador.

Vinha (3)- Esteve bem enquanto esteve em campo.

Paulo Sérgio (4)- É de facto um dos jogadores em melhor forma neste momento da época. Força e velocidade fazem dele nesta fase um jogador importantíssimo.

Brum (4)- Apesar de estar intimamente ligado ao golo sofrido, por deficiente posicionamento, colocando em jogo Zé Carlos, fez um bom jogo. Atacou e defendeu bem e foi dos jogadores que mais lutou pela vitória.

Lino (5)- Foi juntamente com Pedro Roma um dos melhores, sobretudo enquanto médio. Excelente. É um dos melhores Brasileiros contratados nas ultimas épocas.


Gelson (2)- Apesar de muitos jogos ausente, demonstrou excelente forma física. Técnicamente não esteve tão feliz. A expulsão de Káká, prejudicou-o.

Miguel Pedro (2)- Não esteve feliz. Foi inconsequente.

Gyano (1)- Poderá ter sido decisivo na nossa manutenção, mas voltou a ser inofensivo.

Alexandre (1)- Entrou...

Medeiros (1)- Como Alexandre...

Pitbull (2) - Foi dos três que entraram, o melhor. Será ainda muito útil.

Manuel Machado (3)- Ficou muito condicionado com a expulsão de Káká. Retirar Lino de médio para lateral, tirou profundidade à equipa.

Olegário Benquerença (0)- Muito mau!

Assaltos

Hoje fui assaltado.


Na zona da Solum, já havia anoitecido e três indivíduos vestidos de amarelo roubaram-me. Infelizmente sei que não fui o único a sofrer deste mal. Indiscretamente, estes gatunos repetiram o acto a dois amigos meus, a dezenas de conhecidos, a milhares de habitantes da minha cidade. Tudo numa só noite. Gozando com a nossa cara, literalmente cuspiram-nos em cima, considerando-nos e tratando-nos como acéfalos. Gritei "Socorro!", chamei-lhe nomes, debati-me mas não havia nada a fazer. E ninguém me ajudou. Ninguém nos pode ajudar.

Deixando as metáforas de parte, não pretendo com este post fazer a excelente crónica que o meu colega Nuno Costa costuma fazer, até porque não tenho a capacidade de armazenar toda a informação sobre os jogadores, as substituições, o desempenho de todos os elementos em campo e fora dele, tal como ele consegue e muito bem. Mas questiono-me: de que vale ter o Ronaldinho Gaúcho em campo para marcar um livre directo se este é estupidamente mal anulado?! De que vale ter o Thierry Henry a jogar se um remate deste é defendido com a mão de um defesa, dentro da área, e o árbitro faz-se de desentendido?! De que vale ter o John Terry à defesa se ele tem que ser expulso?!

Será conspiração? Sinceramente acho que não. Com o apito dourado arquivado e com toda a polémica que ronda o futebol português, já acredito em tudo. Já larguei a ingenuidade de acreditar que o resultado de um jogo depende apenas dos acontecimentos desenvolvidos dentro das quatro linhas. E assim, nem com esta direcção nem com outra, nem com estes jogadores nem com outros, as coisas resolvem-se. Depois de ver esta maldita exibição do shôr árbitro, depois de analisar as próximas partidas da nossa grande BRIOSA, começo a perceber porque é que só quando oferecem bilhetes ou vem cá um dos "grandes", o estádio tem mais de 10000 pessoas.

Porra, Briosa! VAMOS LUTAR CONTRA ISTO! CONTRA TUDO E CONTRA TODOS!
Não é o Olegário, não é o Soares Dias, não é o Proença, não é o Paixão que nos vão parar! Vamos combatê-los com força, vontade e garra! Por Coimbra, pelos académicos, pela luta contra a corrupção! Vamos à Madeira ganhar! VIVA A BRIOSA!

Académica-Sp.Braga

Vou hoje fazer pela 1ª vez o jogo em directo da grande Briosa contra o Braga. Uma enorme gripe impede-me de ver pela 1ª vez em alguns anos a Académica em casa.
Vamos esperar um grande jogo da parte da Académica, e que a vitória não nos fuja.



A Académica vai jogar com:



Pedro Roma, Sarmento, Litos, Kaká e Vinha. Brum, Paulo Sérgio e Gelson. Miguel Pedro, Gyano e Lino.

Suplentes:
Douglas , Alexandre, Sílvio, Medeiros, Lira, Pitbull e Nestor


4' - Grande oportunidade para o Braga. Pedro Roma defende de forma excelente.
8' - Jogo repartido. É preciso que a Académica "pegue" no meio campo.
18'- O Braga está mais perigoso...
22'- O Braga manda a bola post. Pedro Roma foi fundamental.
24'- Miguel Pedro sofre falta à entrada da área. Carlos Fernades vê o cartão amarelo.
33'- A Académica parece melhorar.
35'-Livre perigoso para Académica, por falta sobre Gelson.
42'- Grande jogada de Lino, cortada para canto.
45'- Mais uma grande oportunidade para o Braga. Ai esta defesa...
45'+1- Intervalo.

2ª Parte

Presentes no estádio 14.894 espectadores

9'- Continua o Braga mais dominador, mas sem criar grandes oportunidades de perigo. A Académica está na expectativa.
11'- kaká expulso, por acumulação de amarelos. Porra!!!
16'- Sai Vinha e Gelson, e entram Alexandre e Medeiros.
22'-Golo do Braga. Zé Carlos. Ao fim de várias repetições vê-se que o jogador não está fora de jogo.
25'- Sai Sarmento e entra Pitbull. Paulo Sérgio desce para defesa direito.
38'- Mesmo com 10 a Académica não desiste. Vamos lá malta!!!
90' Grande oportunidade da Académica empatar. Merda!!!
91' Lino num livre manda a bola para fora...
95'- Penalty roubado à Briosa por mão de um defesa do Braga. Vergonha. Filho da Puta do árbitro. Que raio é isto? Não há dúvidas na repetição. Penalty escandaloso.

Final do jogo

Destaques: Kaká pela negativa. Expulsão sem sentido. Pedro Roma pela positiva, pelo que defendeu. Olegário: LADRÃO

domingo, 29 de abril de 2007

Académica 6 U. Coimbra 0 (Taça de Encerramento)

Em jogo a contar para a Taça de Encerramento, a equipa de juvenis da Académica venceu esta manhã o U. de Coimbra por um expressivo 6 - 0.
Parabéns a todo o Grupo!

Basquetebol: UTAD- 51 Académica-66

A Académica foi arrancar uma importantíssima vitória a Vila Real, caminhando a passos largos para o play-off, quando falta somente uma jornada para terminar a fase regular da competição.
O próximo jogo é em casa, e pede-se a todos os adeptos que vão apoiar a equipa para que consiga ficar num bom lugar de forma a atacar a fase final em boas condições de elevar bem alto o emblema da Briosa.
Parabéns.

sábado, 28 de abril de 2007

A minha equipa


Joga-se na segunda-feira o jogo Académica-Braga. Já o disse, e agora repito-o. A Académica, segundo a minha óptica já está "safa". No entanto, vitórias são sinónimo de alegrias e assim, vamos puxar pela Briosa de forma a que a semana nos corra melhor.
A equipa que eu poria para abordar este Braga, com as limitações já conhecidas seria:

Pedro Roma
Sarmento
Litos
Kaká
Vinha
Brum

Paulo Sérgio

Lino
Miguel Pedro

Gyano
Pitbull


E a sua, caro leitor?

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Opinião do leitor

Estando a Académica, segundo a minha opinião "safa" da descida, vamos lá discutir o futuro da Briosa.
Há várias correntes, que defendem para a AAC/OAF, uma Fundação, outra preferem uma SAD, e outras ainda o Regime Especial de Gestão (o que neste momento vigora).
Pede-se aos leitores para darem a sua opinião, franca e aberta. Agradeço que sem insultos a ninguém, pois esses não merecem o regime de liberdade que têm aqui.
Digam o que sentem e pensam sobre este assunto, e crie-se uma discussão agradável. A Académica merece.

Ainda sobre os ordenados em atraso

Ninguém de bom senso, ou sério, pode sequer sonhar que quando postamos algo, referindo-nos à Académica, queremos o seu mal, ou inventamos notícias.
Em primeiro lugar estamos longe de ser jornalistas, e ainda bem, pois cada vez mais infelizmente estão muitas vezes sujeitos (não todos, claro) à linha editorial de quem lhe paga, pelo facto de a publicidade ser o garante dos seus ordenados, e assim, terem de se submeter ao que lhe mandam noticiar ou omitir o que muitas vezes querem escrever.
Vem isto a propósito dos alegados ordenados em atraso que os jogadores profissionais da Académica têm tido.
Na verdade, não é nada de especial. Como ainda não perfez dois meses, ainda se está dentro da lei.
A verdade é que não inventei nem a notícia, nem a pus por pôr.
Tenho mais de dois anos de blogosfera. Adquiri conhecimentos tais, que me permitem não ir à procura de notícias, pois mandam-mas todos os dias. A dificuldade que tenho é a de filtrar as que são de cariz fidedigno e as outras. Desta vez, como de outras, quem mo disse sabe do que está a falar. É um amigo de peito, que jamais me dizia para eu publicar o que publiquei, correndo o risco de faltar à verdade.
Mesmo assim tive o cuidado (a velhice assim me deu conta que homem prevenido vale por dois) de reconfirmar a notícia por outro lado. E aí, não só me deram conta da veracidade do caso, como de uma reunião de alguém com a direcção a pressioná-la para resolver o caso. (Este alguém em breve será divulgado).
Sabem? Por mais que tentem denegrir a imagem que quem vos dá diariamente as novidades da Académica, mais dificuldades têm em assumir a identidade, como de desmontar a "falsidade" das mesmas.
Lembram-se do Gyano e Nestor Alvarez, na última pré-época? Pois... fui eu e editores do blog onde escrevia, que deram a notícia em 1ª mão. Muitos ligados à Académica, não só o negavam, como nem sabiam que eles estavam em Coimbra. Foi esta experiência (que este ano não a vou repetir, pois é desgastante) que me permitiu conhecer muita gente que agora me manda as notícias e que mais tarde se confirmam.
Como disse, não é muito importante ainda não estarem os ordenados em dia. Até podem ter sido pagos hoje. Mas que não tem sido prática, haver tanto tempo em atraso, lá isso é verdade.
Que se resolva a tempo, pois a manutenção já está assegurada.
Viva a Académica!!!

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Académica-2 Pampilhosa-0

A Briosa ganhou 2-0 ao Pampilhosa, hoje, em jogo treino. Os golos foram marcados por Gelson e André ( médio brasileiro à experiência desde a semana passada).

Nota muito importante: Faz no próximo dia 5 de Maio dois meses que os atletas profissionais da Académica não recebem o seu salário. Hoje, no dito jogo, nem o presidente José Eduardo Simões nem Luís Agostinho estiveram presentes...
Falta de dinheiro ou má gestão?

Joeano pode falhar o jogo com o Braga

Joeano, o avançado da Académica, está em dúvida para o jogo de segunda-feira com o Braga. Ao que parece teve uma contractura no jogo com o Beira-Mar, e já hoje não treinou.
Esperemos que possa recuperar, apesar de o próprio não ter grandes esperanças.
Assim, sem Joeano, Dame, Filipe Teixeira, e possivelmente Gyano, para além dos lesionados Hélder Barbosa, Nuno Luís e Pavlovic, só mesmo uma grande casa e um grande público para ajudar a Briosa a ganhar este jogo. A acontecer a vitória ou mesmo o empate tenho para mim, que a manutenção está garantida.

Retirado do "Campeão das Províncias"

Para os cépticos temos que provar o que dizemos. Para os maledicentes devemos mostrar o que outros viram. Para os cegos e moucos...paciência...
Ora vejam o que vem publicado hoje no jornal semanal "Campeão das Províncias" na sua penúltima página em "Vinagretas":

"Aplausos transformados em apupos

No final do jogo em Aveiro, depois de terem derrotado o Beira-Mar por 1-0, os jogadores Brum, Kaká e Roma dirigiram-se à bancada dos adeptos da Briosa para agradecerem o apoio. Ofereceram as respectivas camisolas à Mancha Negra e em troca foram efusivamente aplaudidos. Radiante com a vitória, o presidente da Académica também foi de encontro aos adeptos galvanizados, mas virou as costas mal os aplausos começaram a dar lugar a um coro de apupos e assobios..."

Nota: Afinal não fui só eu que ouviu...

quarta-feira, 25 de abril de 2007

É só para lembrar que...

"Foi apresentada esta tarde a Campanha que a Direcção da AAC/OAF, a DG da AAC e a Tbz vão levar a cabo para garantir que todos aqueles que querem apoiar a Briosa nesta importante e decisiva fase do campeonato o possam fazer na próxima segunda-feira às 19:45 nas bancadas do Estádio Cidade de Coimbra.

José Eduardo Simões, Paulo Fernandes a António Silva foram mensageiros de boas notícias para os sócios e simpatizantes da Académica:

SÓCIOS DA AAC/OAF:


- Os sócios com lugar de época e quotas em dia vão poder levantar 5 convites (2 bancada central + 3 topo).*

- Os sócios com quotas em dia, sem lugar de época vão poder levantar 2 convites.*

* Estes convites podem ser levantados a partir de quinta-feira, 26 de Abril, no atrium do Estádio Cidade de Coimbra.
ATENÇÃO: Esta campanha está limitada ao número de lugares disponíveis para o efeito.

ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS:


- Cada estudante universitário, portador de identificação comprovativa, pode levantar dois convites na Loja Académica/Tbz no edifício sede da AAC junto à Praça da República.
ATENÇÃO: Esta campanha está limitada ao número de lugares disponíveis para o efeito.

COM ESTA CAMPANHA NÃO HÁ DESCULPAS PARA FICAR EM CASA!
VAMOS TODOS APOIAR A NOSSA BRIOSA!" *

*Texto retirado daqui

------------------------------------------------

Não, não é para ver na SportTv em casa, não é para ver na SportTv no café! É para pegar no cachecol mais bonito do mundo e na camisola preta e branca, na PAIXÃO pela gigante Académica e arranjar bilhetes, grátis ou não.

Vamos lá malta! Vamos dar uma lição de futebol aos bracarenses, vamos mostrar toda a nossa fé e devoção na MÁGICA BRIOSA! Quero ver e ouvir o estádio a ficar sem voz de tanto gritar "A-CA-DÉ-MI-CA!
A-CA-DÉ-MI-CA! A-CA-DÉ-MI-CA!"


Iniciados: Benfica 3 / 0 Académica

Acabou, sem Brilho mas Acabou. Mais tarde resumo da epoca.

Um Abraço, Rui Lourenço

Futsal: Académica 6- Rio Ave 7

Ao mesmo tempo que decorre a partida de Juniores, a equipa de Futsal joga com o Rio Ave.
Neste momento a Académica vence por 4 - 2. Estivemos a ganhar por 3 - 0, mas o Rio Ave reduziu para 3 - 2. Há momentos a Académica marcou o quarto golo.
Intervalo no Futsal: Académica 4 - Rio Ave 4
Com cerca de meia-hora da segunda-parte, o resultado está 5 - 5
Resultado final: Académica 6 - Rio Ave 7

Académica 1- Boavista 3 (Juniores)

Dentro de momentos vai começar o encontro entre a Académica e o Boavista, em mais uma jornada do Campeonato Nacional de Juniores. Pode seguir aqui no "Denúncias e Opiniões" os momentos mais importantes da partida. Vamos lá, rapazes!
A equipa da Académica alinha da seguinte forma: Vitor; Xico, Fábio Santos, Kay, Sandro; Galvão, Heldon; Gonçalo, Traquina, Mário Jorge e Hugo Silva.
Suplentes: Bem-Haja, J.P.Simões, Jota, João Pereira, David Andrade, Hugo Seco e Renan.
10m Golo da Académica por Traquina a passe de Mário Jorge.
Estão decorridos cerca de trinta minutos. A Académica tem controlado a partida; tem trocado bem a bola, sendo justo destacar, até ao momento, a exibição do jogador Cabo-Verdiano Heldon.
35m Golo do Boavista. Desatenção da defesa na marcação de um livre indirecto.
Intervalo: Académica 1 - Boavista 1
Estão quase decorridos trinta minutos da segunda- parte e, ao contrário do primeiro tempo, a Académica não consegue "pegar" no jogo. "Só tem dado Boavista". Vamos lá, Académica!
33m Golo do Boavista. 1 - 2
Na Académica sai Gonçalo e entra David Andrade
Perto dos noventa minutos o Boavista eleva para 3 - 1
Já nos descontos a Académica beneficiou de uma grande-penalidade, mas Traquina permitiu a defesa do guarda-redes do Boavista.
Resultado final Académica 1 - Boavista 3

Alguém se lembra como era dantes? *

Cumprem-se 33 anos sobre o 25 de Abril. Já poucos se recordam de como era a vida na sociedade portuguesa até aí.
Alguém se lembra como era dantes?
Este ano as comemorações do 25 de Abril chegam assombradas pela nomeação de António Oliveira Salazar como o “O Grande Português”

00:00 | sábado, 21 ABR 07

Decorridos 33 anos do golpe militar que pôs fim ao Estado Novo (durante o qual, colunas rebeldes chegam a obedecer ordeiramente aos sinais de trânsito, capitão Salgueiro Maia), as comemorações da data tendem paulatinamente a confundir-se com as do 5 de Outubro (dia da implantação da República, em 1910), se não no calendário pelo menos na pompa e numa ou outra circunstância. Com uma diferença: do 25 de Abril há um pouco mais de sobreviventes. Este ano, chega assombrado pela entrega da medalha de ouro a António Oliveira Salazar no concurso televisivo “Os Grandes Portugueses”.
As interpretações sociológicas, políticas e ideológicas do facto, foram muitas e variadas. Uns defenderam, simplesmente, que o natural de Santa Comba Dão não devia estar na lista; outros desvalorizaram o resultado, considerando-o inexpressivo (contas feitas, se o vencedor chegou aos 41% e o número total de votos contabilizados não ultrapassou os 159.245, então, estiveram com ele apenas 0,6% da população portuguesa).
Houve quem falasse em manifestação de protesto, sem vínculo salazarista, pelo rumo actual do país; quem ficasse mais chateado pelo segundo lugar de Cunhal do que pelo primeiro de Oliveira; e alguma extrema-direita, mesmo cantando vitória, anunciou considerar o programa uma ofensa à História de Portugal (curiosamente, alguma esquerda disse o mesmo). Por fim, houve quem viesse lembrar que o homem tinha vencido um concurso, não tinha ganho eleições.
Alguém se lembra como era dantes?
DR
António de Oliveira Salazar: amado por uns, odiado por outos
O que seria uma impossibilidade. Morreu há 37 anos, a 27 de Julho de 1970, e mandou oficialmente no país entre 1932 e 1968. Nesse ano passa o testemunho ao discípulo Marcelo Caetano, e apenas porque a tal cadeira resolve pregar-lhe a partida de se encontrar fora do sítio. À queda, grave, sobreveio, operado e refeito do susto, uma hemorragia cerebral.
Incapacitado, vive até ao fim na residência oficial (segundo o jornalista Fernando Dacosta, por sugestão da governanta Maria), numa grotesca encenação do poder que já não tem. Ministros e acólitos prestaram-se ao enredo, visitando-o e dirigindo-se-lhe como se do Presidente do Conselho se tratasse ainda. E enquanto em Portugal decorria esta farsa caseira, lá fora Luther Ling era assassinado em Memphis, rebentava a guerra do Vietname, Paris enfrentava a intempérie de Maio e em Praga acabava a Primavera, Bobby Kennedy era baleado em Los Angeles, Nixon chegava a Presidente dos EUA, Neil Armstrong pisava a lua, Beckett ganhava o Nobel, os Beatles zangavam-se de vez, etc., etc., etc. O mundo mantinha o seu curso imparável; por cá chegava ao fim o reinado de Dona Maria.
Nem tudo era mau
Não se pense que tudo era mau. Até final dos anos 60, Portugal manteve-se, em muitos aspectos, na «pole position» dos países europeus ocidentais (ver António Barreto, "Mudança Social em Portugal: 1960-2000", in “Portugal Contemporâneo”, coordenação de António Costa Pinto, Dom Quixote, 2004). Assim: era o único império colonial sobrevivente; podia orgulhar-se do ditador com mais anos no poder; apresentava as mais altas taxas de analfabetismo e mortalidade infantil; o menor número de médicos e enfermeiros por habitante; o mais baixo rendimento por habitante; a menor produtividade no trabalho; o menor número de estudantes no ensino básico e superior; o menor número de pessoas abrangidas pelos sistemas de segurança social, a menor industrialização e a maior população agrícola. No fundo, no fundo, números à parte, tratava-se de um paraíso verde. Além das paisagens bucólicas e das viúvas de portentos buços, havia Fátima, havia fado e havia futebol. E no que toca a futebol, Eusébio era o mais que tudo.
Tão mais que tudo, que Salazar lhe vetou a carreira internacional, informando-o, tão simplesmente, de que ele era “património do Estado”.
Só os portugueses em crise de meia-idade, ou já refeitos dela, se podem lembrar de como era antes. E a verdade é que tinha pouca graça. Antes. Claro que nos podemos rir hoje da licença de isqueiro, obrigatória desde os anos 30 e só abolida em Maio de 1970 pelo decreto-lei 237/70. Claro que mesmo os incondicionais de Chomsky ou Michael Moore já não terão de ir ao Ultramar para beber um gole pecaminoso de Coca-Cola, só comercializada entre nós a partir de 1977. Em Portugal Continental, como se dizia, fora proibida nos anos 30, dela só sobrando a prova dos dotes publicitários de Pessoa que lhe inventara um slogan: “Primeiro estranha-se, depois entranha-se”.
Podemo-nos rir, ainda, do Decreto-Lei nº 31247 de Maio de 1941, que regulava o uso do fato de banho, zelando “pela moralidade pública (...) no sentido de evitar a corrupção dos costumes”, e que obrigava, para elas, a fato inteiro “sem descobrir os seios, com costas decotadas sem prejuízo do corte das cavas ser cingido na axilas”, e para eles a “calção com corte inteiro, justo à perna e reforço da parte da frente, e justo à cintura cobrindo o ventre”, regras a que os “cabos de mar” tiveram de começar a fechar os olhos quando, na década de 60, turistas bem menos atafulhados de roupa desataram a invadir o Estoril e o Algarve.
Continuamo-nos a rir desta obsessão moralista e bafienta (que fez do iconoclasta José Vilhena o autor mais censurado antes do 25 de Abril), com as calças proibidas às raparigas nos liceus e as gravatas obrigatórias para os rapazes, mais as portarias camarárias em prole do decoro vigente. O escritor Luís Sttau Monteiro, cujo pai foi embaixador em Londres até 1943, ano em que bateu com a porta a Oliveira Salazar, contava que, criança, numa audiência a que assistira, o ditador reparara nas suas botas e lhe perguntara onde as comprara. Quando lhe respondeu que fora em Londres, este comentara: “Modernices! Modernices!”
Menos motivos para rir
Alguém se lembra como era dantes?
DR
A censura e a polícia política marcaram o antigo regime
O sorriso começa a amarelecer quando nos lembramos das cargas da polícia de choque, como as do Verão de 1969, nos Salesianos do Estoril (num festival que misturava bandas rock e os chamados cantores de intervenção), apesar da forma pícara como José Cid recorda os acontecimentos: “uma das cenas mais impressionantes foi a polícia batendo num grupo de turistas japoneses. Quando os policiais começaram a agredir os jovens, que estavam ali pacificamente, numa de música, os japoneses puxaram das máquinas fotográficas e começaram a tirar fotografias; assim que a polícia viu aquilo... "máquinas para cá"“. O sorriso desmaia à medida em que recordamos o milhão e meio de imigrantes obrigados a dar o salto, entre 1960 e 1973, sangria de pobres que o escritor José Cardoso Pires resumiria de forma lapidar: “Da minha terra natal tenho uma definição simplista: deserto de Pedras, Padres e Pedintes. Aldeia emigrada, portanto”.
O sorriso já se foi por completo quando chegamos aos cerca de 10 mil soldados mortos na guerra colonial e, ajudados pelo livro de Ferreira Fernandes “Lembro-me que…” (Oficina do Livro, 2004), nos lembramos, também nós, dos poucos ou nenhuns direitos das mulheres cujas vidas valiam penas de dois anos, como a aplicada a Adélio da Custódia pelo assassínio da mulher Maria Pais Pimenta, explicada assim pelo juiz corregedor do Círculo Judicial de Viseu: “Porque se justifica perfeitamente a reacção do réu contra a mulher adúltera que abandonou o lar, o marido e dois filhos de tenra idade, para seguir um saltimbanco”.
E sem motivo aparente vem-nos à cabeça o drama privilegiado do poeta Alexandre O’Neill, que em Nora Mitrani encontrara “l’amour fou”. Uma francesa de passagem por Lisboa espera agora por ele em Paris, mas a PIDE nega-lhe o passaporte e O’Neill nunca tornará a rever Nora que se suicida em 1961.
Em época de censura
Chegamos assim à parte que está mesmo, mesmo, fora de moda: a censura e a polícia política do regime. Em entrevista a António Ferro, Dezembro de 1932, a propósito dos boatos que punham em causa o bom-nome da polícia, Salazar explicara-se bem: “(…) quero informá-lo de que se chegou à conclusão de que as pessoas maltratadas eram sempre, ou quase sempre, temíveis bombistas, que se recusavam a confessar, apesar de todas as habilidades da polícia, onde tinham escondido as suas armas criminosas e mortais”. Linhas à frente, surge a prova mil vezes repetida sobre a brandura dos meios e a rectidão evidente dos fins: “Eu pergunto a mim próprio (…) se a vida de algumas crianças e de algumas pessoas indefesas não vale bem, não justifica largamente, meia dúzia de safanões a tempo nessas criaturas sinistras”. E nesta “meia dúzia de safanões” se fundaria o mito urbano que continua a rever e a absolver a tortura, desrespeitando os mortos com nome próprio.
Alguém se lembra como era dantes?
DR
A revolução dos cravos foi há 33 anos
Quanto à censura (uma prática que, em Portugal, verdade seja dita, recua aos tempos da Inquisição praticamente sem interrupções), prévia e de lápis azul em riste, no caso da imprensa, preferia a apreensão ulterior quando se tratava de livros. Segundo a Comissão do Livro Negro sobre o Fascismo, o regime de Salazar/Caetano proibiu cerca de 3300 obras e até o velho Aquilino Ribeiro foi alvo de um processo-crime, pelo crime de ter escrito “Quando os Lobos Uivam”. O Secretariado Nacional de Informação (SNI) mostrava-se quase sempre de uma eficácia imbatível: em 1965, em apenas quatro dias, apreendia 70 mil títulos à Europa-América, em dois anos subtraía à Seara Nova milhares de contos de livros; quanto à editora Minotauro, era simplesmente encerrada.
Música, artes plásticas, filmes (segundo dados recolhidos em www.amordeperdicao.pt, só entre 1964 e 1967 foram apresentados à censura 1301 filmes, dos quais 145 foram proibidos e 693 autorizados com cortes), e TV a preto e branco (a cores só em 1980), nada escapava à mutilação. A justificação para o zelo recuava ao Decreto-Lei 22469 de Março de 1933: “A censura terá somente por fim impedir a subversão da opinião pública na sua função de força social e deverá ser exercida por forma a defendê-la de todos os factores que a desorientem contra a verdade, a justiça, a moral, a boa administração e o bem comum e a evitar que sejam atacados os princípios fundamentais da organização da sociedade”.
Apesar da bondade expressa dos censores, alguns jornalistas insistiam em desorientar a sociedade. Um dia, no “República”, Vítor Direito discorria a propósito do estado do tempo: “Manhã de nevoeiro transforma a cidade (…) Não se vê um palmo à frente do nariz (…) Andam por aí certos senhores, feitos meteorologistas de trazer por casa, a prever “boas abertas”. Mas o nevoeiro persiste”.
Afinal, eram tempos divertidos. Acabaram com o 25 de Abril.

* In Expresso

25 de Abril SEMPRE...

...Fascismo nunca mais!!!

terça-feira, 24 de abril de 2007

23/4/2007 - Um dia para a história

Caros amigos, hoje vou fazer uma crónica um bocadiiiiiiiinho diferente...

Tudo começa pelas 9 da manhã. Olhar para o céu e pensar, "que brasa que aí vem"!! Apanhar boleia para o ECC onde a fila, à sombra e ao FRIO aumentava a todo o santo minuto. "Estão cerca de 20 pessoas à minha frente... 20x2=40 600-40=560... deve dar!".
Depois de já ter o meu bilhete e os outros 5, de dois amigos meus que já lá estavam à espera, foi todo o dia a olhar para o relógio.
"Já só faltam 2 horas".... "1 hora..."
17h30, hora a que acabava a loooonga aula de estatística era a hora H para a missão "invasão a Aveiro" começar. Carro da mãe abastecido, era só ir buscar os colegas às respectivas faculdades e zarpar rumo à A1. Trânsito e mais trânsito depois, chegamos finalmente à auto-estrada onde já se reparava numa grande falange de carros que, coincidentemente (ou não!), faziam o percurso Coimbra Norte - Aveiro Sul.


Depois de avistada a grande tenda de circo e parado o carro (estrategicamente ao pé da saída), a aventura estava realmente prestes a começar. Bem animados e ansiosos, os 5 rapazes (que podem neste caso representar 1000 Academistas), caminhavam confiantes, seguídos da minha bandeira de 2.5m, picando aqui e ali os poucos adeptos Aveirenses presentes. Depois de alguma discussão com a polícia (o cabo PVC da minha bandeira foi estranhamente impedido de entrar) e alguma troca de bocas com um velhote dos cagaréus, que dizia que as assistências em Aveiro eram, geralmente, maiores que as de Coimbra (?!?!?), lá nos posicionamos no nosso lugar, em plena MANCHA NEGRA à espera do apito do árbitro soar.

Ora bem... A equipa inicial esperada, toca o apito. Com 5 minutos de jogo, o árbitro auxiliar (que teve uma conduta vergonhosa durante todo o jogo) já tinha marcado 3 livres perigosos para o Beira-Mar e já os adeptos da Académica tremiam sempre que a bola sobrevoava a área. Excepção feita de Edgar, eles são fraquiiiiiiiinhos.
Aos 7 minutos primeira explosão na Mancha Negra! Lino (Lino - melhor jogador da Académica em todo o jogo. Muito dinâmico pela esquerda, fez inúmeros cruzamentos para a área), com um belo remate e a bola quase que beijava a trave da baliza de Aveiro!!

Aos 20 minutos mais uns pontapés de frustração nas feias cadeiras do EMA. Dame (Dame - jogo apagado do Senegalês, esteve no entanto nas duas principais perdidas da AAC na primeira parte), consegue fugir a Alcaraz e rematar cruzado com a bola a sair ao lado! O jogo corria bem e as gargantas puxavam pela equipa o mais que podiam!
A-CA-DÉ-MI-CA, A-CA-DÉ-MI-CA, era o grito de ordem que deixava os homens de Aveiro completamente doidos, obviamente a estranhar a maneira eficaz de uma massa associativa puxar pela sua equipa.

Aos 40m, mãos na cabeça! O Filipe ia mesmo sair (Filipe Teixeira - estava a ser, como habitualmente, o melhor jogador em campo), depois de ter sido varrido por um jogador do Beira Mar.
Puuummm, a trave até tremeu!! Edgar, aproveitando alguma lentidão de Litos e Kaka (Litos/Kaka - nota positiva porque o Beira Mar não marcou. No entanto, houve sempre muito espaço na área da Académica), manda um balázio à trave.


Intervalo, hora de descansar as pernas e assistir a uma coisa curiosíssima! O speaker do Estádio fez soar então o hino do Beira Mar! AHAHAHAHAHA, gargalhada geral (ainda hoje me lembro daquela voz antiga "Beira Mar, Beira Maaaaaaaaaar"). E quando ele dizia: "BeeeEEEiiiIIIIraaaAA!"? Que risada!

O Beira-Mar entrou melhor na segunda parte, deixando a bancada Sul apreensiva! Mas depois de um livre superiormente batido por Sarmento (Sarmento/Vinha - Sarmento melhor a atacar do que a defender - ao contrário de Vinha), devolveu a garra aos adeptos Briosos!
Depois de uma abertura de Brum (R.Brum - Bom jogo!!! Inteligente a defender, nunca se coibiu de lançar o ataque!) para Joeano (Joeano - duas assistências para golo e muito trabalho) que rasgou a defesa, e permitiu a Gyano (Gyano - QUE SE LIXE! MARCOU E GANHAMOS, É O MAIOR!) levar à loucura os fieis Academistas presentes no EMA!
Até ao final, o pressing normal dos Aveirenses, que fizeram roer muitas unhas e consumir muito tabaco a quem sentia o PRETO, foi totalmente travado por Pedro Roma (Pedro Roma - Muita segurança, efectua uma mancha espectacular a Edgar, já na segunda parte), pela defesa e por Paulo Sérgio (P.Sérgio - muitas recuperações de bola, foi um jogador voluntarioso, muito útil à equipa).
Ao apito de final de jogo por Pedro Proença (Árbitro - Nota máxima! Não se deixou influenciar e registou uma boa exibição.), foi a normal explosão de alegria e aquele abraço de grupo (com asneiras e insultos à mistura), obviamente apenas permitido num estádio de futebol, depois de uma vitória da Briosa.

A-CA-DÉ-MI-CA, A-CA-DÉ-MI-CA!! Foram as palavras de ordem até á chegada a COIMBRA! Obrigado Ricardo, André, Bruno e JP pela maravilhosa companhia, obrigado BRIOSA por existires, obrigado Aveiro por ires beber àgua Vitális, obrigado a todos pelo maravilhoso dia que me fizeram passar!!


Muita mais coisa podia ser aqui transcrita. No entanto, não se preocupem, uma crónica como esta não se volta a repetir!
P.S. - A frequência foi um desastre.

Licá (Social de Lamas) na Académica

O jovem avançado, de 18 anos, Licá, jogador do Social de Lamas (3ª divisão) pode estar já na Académica.
Jogador pretendido por vários clubes da 1ª Liga, a Académica parece ter-se adiantado na corrida.
Ontem , o Presidente do Social Lamas, afirmou à Antena 1 que estava praticamente tudo tratado, mas que só faltava o acordo financeiro final.

Nota: Ontem foi um dia de felicidade enorme para todos os verdadeiros Académicos. Por duas épocas consecutivas, atiramos os cagaréus para a 2ª liga. Para quem se lembra, como eu, nos anos 70, eles fazerem o nosso funeral, aqui têm a resposta à altura.
De lamentar, as vaias enormes que o Presidente da Académica, José Eduardo SImões, ouviu no final do jogo ao ir de encontro os adeptos da Académica, por parte destes. Não é o meu Presidente, mas quem devia levar vaias, era sem dúvida o presidente do Beira-Mar, que tão maltratou a nossa Instituição durante toda a semana.
Hoje ainda análise do jogo por Nuno Costa.

segunda-feira, 23 de abril de 2007

Filipe Teixeira não joga mais esta época


Soubemos há momentos que Filipe Teixeira tem uma lesão grave que o impedirá de jogar mais esta temporada. O infortúnio não larga o atleta. É sem dúvida uma enorme baixa para a equipa. Desejamos a Filipe Teixeira melhoras rápidas.

Beira-Mar 0 - Académica 1

Está prestes a começar o importantíssimo jogo em Aveiro. Segundo me transmitiu Mário Castro há pouco, está ainda muita gente numa fila gigantesca à espera de vez para entrar, pois, estranhamente, só haverá uma porta de acesso ao Estádio. Aqui no "Denúncias" iremos dar algumas informações à medida que decorre a partida. Vamos lá, Briosa!
A Académica alinha com a seguinte equipa:
Pedro Roma; Sarmento, Litos, Kaká e Vitor Vinha; Brum e P.Sérgio; Filipe Teixeira, Dame e Lino; Joeano
Estarão cerca de 1000 adeptos da Académica.
Nos primeiros vinte minutos o Beira-Mar tem criado mais perigo.
Má notícia: Filipe Teixeira parece estar com problemas físicos. Poderá mesmo ter que ser substituído.
A poucos minutos do final da primeira-parte, sai Filipe Teixeira e entra Miguel Pedro.
Quase no final o Beira-Mar poderia ter marcado. O remate acertou, felizmente, na barra.
Intervalo, 0 - 0
Assistência oficial: 8 497. Uma excelente assistência, tendo em conta os números habituais deste Estádio.
Aos 17 minutos desta segunda-parte sai Dame e entra Alexandre
Aos 27 minutos sai Vinha e entra Gyano. Lino recuará para lateral-esquerdo.
O jogo de Braga contiunua empatado a zero.
Pouco depois de ter entrado, Gyano sai do campo de maca. Aguarda-se noticias quanto à gravidade da lesão.
Gyano volta a entrar na partida. Aos 32 minutos Joeano remata ao poste.
GOLO DA ACADÉMICA !! A centro de Joeano, Gyano marca!!
Terminou a partida! Vitória extremamente importante!
Viva a Académica!!!

Bilhetes esgotaram num ápice

Os seiscentos bilhetes postos à disposição por Luís Godinho aos sócios da Académica para a viagem a Aveiro, esgotaram num ápice. Neste momento já não há os tão famigerados "papelinhos" que dão acesso ao importantíssimo jogo entre Beira-Mar e Académica.
Também ficámos a saber que da Mancha Negra partirão cerca de 4 camionetas.

domingo, 22 de abril de 2007

Penafiel-1 Académica-0 (Juniores)

A Académica perdeu hoje em Penafiel por 1-0, golo marcado aos 4 minutos, em mais uma jornada do Campeonato Nacional de Juniores, zona norte.
Assim, devemos estar afastados definitivamente da fase final. Não obstante, temos que dar os parabéns aos atletas e treinadores pelo excelente campeonato efectuado.

BEIRA-MAR X ACADÉMICA: CONVOCADOS

Já está definida a lista de convocados do Prof. Manuel Machado para o jogo da 26ª jornada da Liga Bwin que terá lugar manhã frente ao Beira-Mar.

Os 18 jogadores convocados são:

24 Pedro Roma
15 Eduardo
2 Joeano
4 Káká
5 Alexandre
6 Roberto Brum
8 Paulo Sérgio
9 Gelson
10 Filipe Teixeira
12 Sílvio
14 Medeiros
16 Lino
18 Vítor Vinha
19 Miguel Pedro
21 Litos
22 Sarmento
29 Gyano
77 Dame

Lesionados: Milos Pavlovic, Pitbull e Hélder Barbosa.

A minha equipa

Com Pitbull de fora, a Académica, caso não haja alguma invenção de última hora de Manuel Machado, pode jogar da mesma forma que o fez contra o Porto.
Segundo o treinador da Briosa, a equipa será de continuidade. Parece-me que para ganharmos ao Beira-Mar bastará jogar o que os jogadores sabem, mas com uma vontade extra. Ou seja, lutarem até à exaustão, já que individualmente não tenho dúvida que somos melhores.
Assim, a minha equipa seria:

Pedro Roma
Paulo Sérgio
Litos
Kaká
Vítor Vinha
Brum
Alexandre
Filipe Teixeira
Dame
Joeano
Lino

E a sua, caro leitor?

sábado, 21 de abril de 2007

Andebol: Académica-22 Lamego-20

A equipa de séniores masculinos da Académica venceu hoje a partida frente ao Lamego por 22 bolas a 20. Resumidamente, foi uma primeira parte bem disputada, vindo os jogadores da casa a perder um pouco da concentração na segunda parte. Como o que conta é o resultado, parabéns a todos!

Viva a Briosa!

Adenda ao post anterior

O sócio da Académica Luís Godinho vai disponibilizar 600 bilhetes gratuitos para o jogo de segunda-feira entre o Beira-Mar e a Académica, bastando ao associado comprovar que tem as quotas em dia.
“A partir de segunda-feira, às 9:00, estarão na Loja TBZ, no Estádio Cidade de Coimbra 600 bilhetes e cada sócio da Académica que tenha as quotas em dia terá direito a levantar dois ingressos”, informou Luís Godinho.
A oferta deste número de bilhetes é da responsabilidade de associado e vice-presidente auto-suspenso da Académica, juntamente com várias empresas que se associaram à iniciativa.
Luís Godinho esclareceu ainda que a claque Mancha Negra se precipitou ao anular a iniciativa da actividade de bilhete gratuito mais a viagem de autocarro, mas que a sua acção não colide com a da Mancha Negra que organiza uma viagem com bilhete por 15 euros, iniciativas que visam atrair um maior número de adeptos para o jogo.
“Espero que assim esteja o maior número de pessoas para apoiar a Académica, número que deve rondar um milhar de pessoas”, acrescentou Luís Godinho.
Este associado informou ainda que quem abastecer na Galp da Adémia com GForce, no valor de dez euros, a partir de terça-feira, terá direito a um bilhete para o Académica-Sporting de Braga do dia 30 de Abril. Esta iniciativa visa distribuir mil bilhetes.

Seiscentos bilhetes grátis para sócios com quotas em dia

Grande novidade para todos os sócios da Académica.
Hoje, na homenagem a Guilherme Luís, eterno massagista da Briosa, ( cuja reportagem irá ser editada pelo "Denúncias&Opiniões"), o director da Académica Carlos Clemente veio ter comigo e mostrou-me dois faxes. Um, do pagamento de 6.500 € por parte de Luís Godinho, cujo Banco é o Millenium/BCP, e outro da direcção do Beira-Mar, a registar/confirmar o pagamento de 600 bilhetes.
Não me interessa saber que voltas isto deu.
A verdade é que Carlos Clemente e José Eduardo Simões garantiram que todos os sócios com quotas pagas, podem apresentar o seu cartão de sócio, na segunda-feira de manhã na loja da Académica, onde se encontra a D. Carmo, e assim cada um levantar dois (2) bilhetes totalmente grátis, para assistir ao jogo de segunda-feira, entra os Aveirenses e a Académica.
Quanto a transporte nada me foi indicado nem pedido para publicitar.

(Disse-me também Carlos Clemente que nunca um clube nosso visitado foi tão maltratado como a Académica tem sido nestes últimos tempos pela direcção dos aveirenses.
Imaginem que os cagaréus só aceitavam mandar os benditos bilhetes, caso a Académica apresentasse dinheiro vivo (nota) ou cheque visado. Vergonhoso, ou no mínimo patético. Eu, Mário Castro, até acho que segundo os regulamentos da Liga, é ilegal. Mas vamos lá ganhar e se possível folgadamente, para vergonha desses ovos moles estragados.)


Boa notícia, e que enchamos Aveiro.

Académica-102 - Galitos de Aveiro-90 (Basquetebol)

A Briosa acaba de vencer o jogo disputado no Multiusos em Coimbra frente ao Galitos de Aveiro por 102-90. Bons jogo da Académica, e o play-off está cada vez mais perto.

Sergio Marques convocado para os sub-15

"SÉRGIO MARQUES NO ESTÁGIO DE PREPARAÇÃO DA PRIMEIRA SELECÇÃO DE SUB-15
07-04-20 14:57

A Federação Portuguesa de Futebol vai começar a preparar, nos dias 28 e 29 de Abril, no Centro de Estágio de Lamego, a criação da Selecção Nacional Sub-15, que será uma realidade no dealbar da próxima época desportiva (2007/2008).

Em estreita colaboração com os coordenadores técnicos das Associações de Futebol, os responsáveis técnicos nacionais vão realizar três estágios com atletas de todo o País, divididos de forma geográfica, em Fase Norte, Fase Sul (na qual estão incluídos os jogadores das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira) e Fase Lisboa/Porto.

Para o primeiro estágio de preparação da futura Selecção Sub-15 foram chamados 26 atletas da zona Norte do País.

Sérgio Marques, atleta da equipa de iniciados da Académica está convocado para este estágio e é, por isso, candidato a ser um dos primeiros atletas desta selecção que agora se prepara.

ESTA É UMA ÉPOCA SEM PRECEDENTES NA ACADÉMICA NO TOCA À PARTICIPAÇÃO DE ATLETAS DA FORMAÇÃO NAS CONVOCATÓRIAS DAS SELECÇÕES."

In Site Oficial

Presidente do Beira-Mar diz: "Não os quero cá".

O inqualificável presidente do beira-mar


É o indigente do clube dos cagaréus, que diz que não quer a malta de Coimbra, na próxima segunda-feira em Aveiro.
Sr. Presidente do Beira-Mar, já não tinha respeito pelo seu minúsculo clubezeco. Já sabíamos que tinham grandes complexos no que diz respeito à nossa grandeza. Que os vossos cotovelos, andavam há anos cheios de calosidades e dores, pelo nosso sucesso desportivo e social que jamais poderá ser comparado ao clube de bairro que dirige.
Na segunda-feira, vamos-lhe dar a prova final. Verá que somos ainda maiores do que teme. Verá que não é um construtorzeco que alguma vez poderá decidir pelo seu único neurónio (estragado, claro) a capacidade de uma Instituição Universal, com pergaminhos mundialmente famosos. Chegaremos a Aveiro, veremos o jogo, e venceremos com dignidade e bom futebol.
Sabe o que lhe vai acontecer? Vai sentir uma enorme azia, pela irremediável descida do seu clube, contrastando com a imensa felicidade e orgulho que todos os que se deslocarão de Coimbra, para ver, sentir e regozijar com uma vitória, a partir deste momento, ainda mais desejada. A força da Académica jamais perecerá.
BRIOOOOOSA!!!
Viva a Académica.

Nota: Para quem quiser, mandar uns recados ao presidente do beira-mar, aqui fica o seu mail, para que todos lhe possam manifestar o nosso desagrado: artur.filipe@beiramar.pt

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Comunicado da Mancha Negra

A claque oficial Mancha Negra vem por este meio informar o seguinte:

No seguimento de uma conversa tida no domingo à noite, após o nosso desaire no sábado e os nossos concorrentes directos pela manutenção terem ganho, entre um elemento da direcção da claque e o sócio da AAC-OAF Luís Godinho, deu-se início a uma campanha para poder levar o maior número de adeptos ao estádio do Beira-Mar, com o objectivo de apoiar a "mágica" Briosa. Essa campanha consistia em, após angariar alguns apoios junto a empresas associadas à AAC-OAF (apoios esses que trataria o referido sócio da AAC-OAF), garantir viagem e bilhete gratuito, para que assim a adesão fosse em massa!!

Na quarta-feira, a claque, tinha já cerca de 850 pessoas inscritas, superando assim, e muito, o número esperado (cerca de 500). Além do mais, a direcção do Beira-Mar, têm dificultado ao máximo a aquisição de ingressos, colocando-os a venda inclusive por um preço absurdo (para um jogo a uma segunda-feira ás 19:30!!) de 15 €..

O facilitismo que nos foi dado a entender, e também a vontade de levar o máximo número de pessoas, levou-nos a exceder em muito o valor que tínhamos previsto, e tornando completamente impossível realizar a viagem de forma gratuita.

Somos portanto obrigados a informar todos os associados que terão de desembolsar a quantia de 15€, preço pedido pelo Beira-Mar na segunda-feira, altura em que serão adquiridos os ingressos.

Pedidos a compreensão de todos os que se inscreveram, e que por favor, caso continuem interessados em viajar com a Mancha Negra para apoiar a "magica" Briosa, informem até sábado às 24h o seu desejo através dos seguintes contactos: 964701787 / 917691086 / 936000633.

Todos os inscritos serão contactados por telefone.
Estamos confiantes que os verdadeiros adeptos estarão presentes e darão o melhor apoio à Associação Académica de Coimbra!

Viva a Briosa!

Escândalo nas viagens para Aveiro

Para já não me quero alongar muito.
Mas posso dizer que o patrocinador que prometeu o pagamento das camionetas e bilhetes à Mancha Negra, de forma a esta claque organizar a viagem a Aveiro falhou redondamente, recusando-se agora a pagar o prometido.
Assim, quem se inscreveu terá que pagar o bilhete (15€) não se sabendo para já, o que vai acontecer com o transporte.
Espera-se muito em breve um comunicado da Mancha Negra.

Académica vai fazer estágio de pré-época na Tocha

A Académica já escolheu o local onde irá realizar o estágio pré-competitivo para a próxima época. A escolha recaiu no recém-inaugurado (tem dois meses) Complexo Desportivo da Tocha, vila do concelho de Cantanhede, situada a menos de 40 quilómetros de Coimbra. «Está confirmado. Falta apenas passar as coisas para o papel, mas como somos todos homens de palavra, não haverá problemas», confirmou ao MaisFutebol Júlio Oliveira, presidente da Junta de Freguesia da Tocha.

A decisão dos «estudantes» prende-se com um desejo antigo do presidente José Eduardo Simões, que ficou impressionado com as condições do complexo - dois relvados, um dele sintético, de última geração, bancada coberta para mil pessoas e pista de atletismo - quando assistiu à cerimónia de inauguração.

Ontem mesmo, o dirigente deslocou-se mais uma vez ao local, desta feita na companhia de Manuel Machado e do director desportivo da Briosa, Luís Agostinho, ficando desde logo feita a reserva do espaço. Quanto ao alojamento da equipa, a escolha recaiu numa unidade hoteleira nas proximidades.

A nova infra-estrutura da Tocha passará, também, a acolher os jogos das camadas jovens da Académica, e, já no último fim-de-semana, o palco principal foi utilizado para um jogo dos iniciados.

Depois de estagiar no Luso e em Quiaios, na última época, os «estudantes» continuam a dar privilégio às ofertas do distrito de Coimbra, apostando numa política de proximidade para com os adeptos.


Notícia do "Mais Futebol"


Nota: Nada contra esta decisão. Antes pelo contrário. Conheço o complexo e acho-o com condições bastante boas para uma pré-época. O mesmo não posso dizer, quanto ao facto de as nossas camadas jovens, fazerem lá, na Tocha, os jogos que nos calham em casa. Se no Luso era longe, então na Tocha é perto? Que tal tentar a direcção fazer força para que se consiga homologar os campos sintéticos do Complexo Desportivo Dr. Francisco Soares?

Ataques à Académica não param

A propósito da detenção de elementos de extrema direita, ontem noticiados, fazem hoje manchetes nos jornais que claques de equipas de futebol podem estar ligadas a este fenómeno racista e deplorável.
Falam os jornais em equipas como o Benfica , Porto, Académica, Portimonense, Boavista e Amora.
Partindo do princípio que tal é verdade, e não parto de todo, a questão lógica seria perguntar como o outro, "Cadê os outros?". Quer dizer que Sporting, Guimarães, Leixões e outros, nada têm a ver com isto, o que digo desde já ser repulsante.
Sabendo como todos sabem, que são os adeptos destes clubes dos mais violentos que há no futebol Português, quem os defende? Por que não estão nesta lista? Quem os defende, atacando uma Instituição de bem, secular, que nada tem de violência, bem pelo contrário. Somos muitas vezes mal tratados por esses campos fora.
Conheço bem a Mancha Negra. Fiz dezenas de viagens com eles.
Tirando um ou outro elemento que pela sua idade e descontracção bebe um pouco mais, tornando o ambiente um pouco pesado, nunca, repito: NUNCA vi alguém defender explicitamente ideais fascistas ou afins.
Que todos têm direito à sua opinião, num regime democrático, acho que somos unânimes. Mesmo discordando com os nossos consócios. Ouvi e estive atento a manifestações, tipo conversa de café - a alguns elementos da MN que defendem uma certa direita. Mas nunca me senti mal, nem vi que tal pudesse ser utilizado tendo a Académica como capa ou porta-estandarte.
No dia que pressentisse alguma coisa parecida, de imediato o denunciaria, e deixaria de ter como amigos, pessoas com quem tenho uma amizade garantida.
Temos que estar atentos a estes "autos de fé" que visam claramente desestabilizar a Académica, que todos sabem estar fragilizada desportivamente.
Não devemos dar ouvidos a estes palermas que a todo o custo promovem a baixaria numa Instituição amada por todos e querida por Portugal.
A haver casos de polícia, que seja o Ministério da Administração a tratar do assunto, mas de uma vez por todas deixem a Académica em paz.
Viva a Mancha Negra!
Viva a Académica!!!


quinta-feira, 19 de abril de 2007

Académica - 8 Lusitânia dos Açores-0

A Briosa goleou hoje à tarde no Estádio Cidade de Coimbra, o Lusitânia dos Açores por 8-0.
Resultado extremamente moralizador, que mesmo obtido num jogo treino indica níveis de confiança espectaculares.


Esperemos que seja um bom prenúncio para o jogo de segunda-feira. A título de curiosidade aqui ficam os marcadores dos golos:


- Gyano (2)
- Nestor
- Sílvio
- Sarmento
- Filipe Teixeira
- Miguel Pedro
- Lino

Vamos à vitória Académica!!!

Ir a Aveiro para ganhar

É escusado fazer contas. Dependemos só de nós, e não admito sequer a hipótese de não ganhar em Aveiro. Não adianta pedir nada aos jogadores, treinador ou direcção. Eles - todos eles - sabem que não ganhando pontos na terra dos "cagaréus", corremos sérios riscos de descida aos infernos.
Ao não pedir nada a ninguém, está implícito que exijo a cada um deles que se empenhe a fundo na defesa das suas/nossas cores. Mesmo que passageiras. Um jogador profissional, é mais do que tudo um profissional, e deve enquanto tal, defender a Instituição que lhe paga, neste caso a tempo e horas, de forma a honrar o epíteto que ostenta.
Na Académica é hábito os seus adeptos não regatearem esforços quando se pede para tocar a rebate. Estamos sempre lá, presentes, sem condições, e prontos a defender a grande Briosa.
Mas desenganem-se os profissionais da Instituição. Apoiamos sim, mas cobramos também. Não da forma selvagem como fazem os de Guimarães, mas urbana e decentemente. E a melhor maneira de o fazer, é mostrar indignação, quer de forma dialogante, ou denunciando os que menos se empenham na defesa dos interesses da Académica.
Tenho a certeza que não vai ser o caso. Não obstante, fica o pedido que todos dêem o que tenham e não tenham, para que no fim do jogo de segunda-feira todos se sintam heróis e recebam o prémio devido, ou seja, o grito de A-CA-DÉ-MI-CA, que consegue fazer chorar uns, e arrepiar outros.
Vamos lá Briosa!!!

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Ainda sobre o post sobre MST

O nosso sentido Académico é muitas vezes posto em causa. Principalmente por pessoas que não são da Académica, não vivem a Académica nem tão pouco são somente da Académica. Muitos há, que subrepticiamente se aproveitam do facto de viverem em Coimbra ou perto, para ver os seus clubes do coração. Sejam eles vermelhos, azuis ou verdes.
Não é o meu caso. Da Académica há 40 anos (desde que racionalmente tenho direito à preferência), sofro quando alguém se diz de dois clubes.
Porquê? Porque é do mais puro cinismo dizer-se da Briosa, quando o clube do coração é outro. E porque dizem ter dois clubes? Para, pura e simplesmente, terem direito a opinar quando se trata da nossa Briosa (que não deles).
E são eles, os que mais atacam ferozmente os Académicos que defendem a Instituição de ataques brutais, quando a Académica é insultada por alguns dos seus consócios. Sejam quem for. Ainda ontem, no programa na RTPN, vi por exemplo, o cineasta (que fez três ou quatro filmes... e maus em toda a vida e agora é comentador desportivo...) a defender a Académica, quando há bem pouco tempo - quando jogámos com o Benfica - nos chamou todos os feios nomes.
São assim os camaleões....
Quanto a Miguel Sousa Tavares, estou-me nas tintas que me mova um ou mais processos judiciais. Não retiro uma vírgula à minha indignação, por ler e ouvir permanentemente este senhor a dizer mal de Coimbra e da Académica. Desde provincianos a pseudo-doutores já lhe li e ouvi tudo. Que o diga o Prof. Doutor Vital Moreira.
Mas não me custa reconhecer que o texto que fiz, foi sob uma tensão enorme provocada pelos constantes devaneios escritos e de qualidade intelectual muito duvidosa. Essa pressão levou-me
a dizer coisas que não as diria com a cabeça fria.
Mas não será que MST faz o mesmo quando chama mentiroso a Manuel Machado, e diz horrores da Académica?
Acho até, que quem devia responder a este senhor, não era eu, mas sim a direcção da Académica, ou o próprio Manuel Machado. Não o fizeram, fi-lo eu. A quente, com pouco a ver com o espírito Académico, mas com muita paixão e defesa intrínseca e total da nossa Associação Académica de Coimbra.
Queiram-me desculpar.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Pedro Proença é o árbitro para segunda

Pedro Proença vai apitar o jogo Beira-Mar-Académica, na próxima segunda-feira.
Tenho-o como um bom árbitro, e espera-se que ganhemos de forma limpa. Se o não for, jamais faremos como costuma fazer Miguel Sousa Tavares...


Beira-Mar | Académica
Pedro ProençaTiago Trigo
Ricardo Santos
João GasparRaúl Peixoto - Raúl Silva

Miguel Sousa Tavares afia os caninos

Com uma "lata" incrível, Miguel Sousa Tavares, conhecido pelos piores motivos, faz hoje mais um ataque feroz à Académica e aos Académicos.
Não é a primeira vez que tal acontece. Lembro-me de há anos atrás ter atacado violentamente o nosso atleta Zé Nando, que até tinha sido jogador das camadas jovens do Porto. Na altura, o Dr. Fernando Pompeu respondeu-lhe à letra, tentando à sua maneira (delicada e urbana) fazer-lhe ver a razão.
Parece não ter tido emenda.
Diz Miguel, que a Académica foi beneficiada, por Carlos Xistra, pondo em causa não só o penalty assinalado contra os azuis, como a mão descarada de Ricardo Costa na área portista. Fala mal de Manuel Machado, dizendo que mente nas suas declarações aos jornalistas.
Ora vindo de alguém que é frequentemente acusado de desacatos domésticos, batendo na própria mulher, que moral tem esta besta de dizer o que quer que seja a favor de alguém ou contra quem for?
Miguel, o cobarde que bate em mulheres, não olha a meios para atingir os fins. Bebe e come da mesma gamela do seu dono (Pinto da Costa), mente ofendendo uma cidade e a sua Instituição, que, lembre-se, é bem mais antiga do que a dos arruaceiro e pouco honestos de terras do Douro.
Miguel, de seu nome, é o pai da aldrabice, do branqueamento de resultados, da forja dos "quinhentinhos", e das célebres viagens ao Brasil pagas a árbitros que notoriamente beneficiaram os Andrades.
A mãe, Sofia de Mello Breyner Andreson grande poetisa deve sentir-se desonrada e cheia de vergonha, por ter dado ao mundo alguém tão baixo de carácter, alguém tão nojento, e que se aproveita da possibilidade de escrevinhar em jornais de grande tiragem, para enojar o mundo do futebol.
Quando se concluir o processo apito dourado, sempre quero ver o que tamanho brojeço dirá...

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Transporte e Bilhete GRATUITOS

DERBY REGIONAL, IMPORTÂNCIA CAPITAL
BEIRA MAR VS ACADÉMICA

-Num jogo de "tudo ou nada", a Mancha Negra -Claque oficial da AAC- está a Organizar uma autêntica invasão a Aveiro, com o objectivo de que TODOS os Academistas marquem presença neste encontro de carácter decisivo para a nossa mágica Briosa.

Assim, a Claque Mancha Negra vai Disponibilizar a TODOS os ACADEMISTAS,transporte e bilhete GRATUITOS na deslocação a Aveiro, com a finalidade de APOIAR a nossa equipa com toda a FORÇA na conquista da VITÓRIA rumo a Manutenção no escalão maior do nosso futebol profissional.

As inscrições e informações adicionais podem e devem ser efectuadas na sede da claque, sito pavilhão Jorge Anjinho, de segunda a quinta até as 19H ou Através dos telefones 936000633, 964701787 e 917691086.

A viagem esta programada para Segunda dia 23 com saída prevista para as 17:30
do Pavilhão Jorge Anjinho.

Saudações Académicas,
Miguel
936000633
Email: MNTours85@manchanegra85.com
MNTOURS85

Joeano e Pitbull falham arranque dos trabalhos

Joeano e Cláudio Pitbull não marcaram presença no primeiro treino da semana da Académica. O primeiro queixou-se de dores numa coxa e será reavaliado nesta terça feira, enquanto o segundo padece de uma micro-rotura na perna esquerda. Para já, ambos estão em dúvida para o jogo de segunda-feira à tarde (19h30), frente ao Beira Mar, em Aveiro.

O plantel foi dividido em dois grupos, tendo a maior parte dos jogadores utilizados frente ao F. C. Porto realizado apenas corrida na Mata do Choupal, nas cercanias da Academia Briosa XXI, no Bolão, local habitual dos treinos dos «estudantes».

Desde já afastados da partida, em recuperação de intervenções cirúrgicas, estão Nuno Piloto, Hélder Barbosa e Pavlovic, jogadores que dificilmente voltarão a jogar esta época.


Pior notícia, nesta altura, não podia haver. Vamos ver se recuperam ambos. Todos são poucos!!!

Preocupado, mas com esperança

Ontem foi daqueles dias em que nada correu bem para as cores da nossa Briosa. As vitórias do Aves na Madeira, e do Beira-Mar em Setúbal, foram más demais para ser verdade. O hábito de sofrer até ao último minuto do campeonato, tornou-se de tal forma trivial, que já nada nem a ninguém admira a situação por que passamos.
O discurso de Manuel Machado ao longo destes últimos jogos, apesar de derrota sobre derrota, era de tal modo tranquilizador, que nos fazia crer que tinha "alguma na manga". Afinal era bluff. Nunca devemos contar com o "ovo no cú da galinha". E a prova disso foi este fim de semana absolutamente aziago para a Académica. No ano em que podíamos e devíamos fazer o Campeonato mais livre de sobressaltos, vêmo-nos numa situação aflitiva, que nenhum de nós poderia adivinhar no princípio da época. Por várias razões: Treinador novo, com provas dadas, orçamento milionário, e o facto de só descerem duas equipas.
O que se viu? Um Belenenses com uma equipa definida para a 2ª liga em 4º lugar, um Paços de Ferreira ainda a lutar para a Europa, e um balão de oxigénio nestas últimas jornadas para os que estiverem em último quase 90% do Campeonato.
Já descemos? Não. Mil vezes não!!!
Nem me parece que o jogo de Aveiro possa, independentemente de uma hipotética derrota, desde já atirar-nos para a 2ª divisão. Se todos sabem que é incomparavelmente mais fácil aguentar uma equipa na 1ª Liga, do que subir à mesma, o facto de termos que jogar na Madeira e receber o Braga, não nos dando qualquer margem de manobra para errar, podemos ir buscar o nosso orgulho e força onde durante um campeonato inteiro, estiveram mais do que escondidos.
Nisto do futebol há méritos, mas também há responsabilidades.
E a pergunta que neste momento todos fazem, é , parece-me lógica: Se por infelicidade a Académica descer para a 2ª liga, as eleições serão, como diz Almeida Santos em Abril de 2008?
Ninguém responsabilizará, o responsável máximo pela condução da nossa Instituição, pela absoluta incompetência demonstrada durante a época?
O treinador (que ainda não renovou - ficam a saber -) sujeitar-se-á a ir para a 2ª liga, ou o presidente querê-lo-á nessas circunstâncias?
Se com um milhão de contos descemos de divisão, quanto será preciso para subir?
São estas preocupações que nos tomam de assalto.
Pessoalmente, tenho esperança - forte esperança - na manutenção. Mas a acontecer, não deixará de se ter que responsabilizar quem tão mal tratou esta Instituição, e tão mal geriu o que tinha que gerir. Ao nível de contratações, dispensas, saídas a custo zero, problemas judiciais, vices auto-suspensos, outros com vontade manifestada de se demitir, e vá lá saber-se porque não o fazem, etc., etc., etc.
A Académica vive um momento em que a liderança, não existe. O passado permanentemente renegado. Os estatutos não são cumpridos. Que mais nos falta, para sermos uma mão cheia de nada?
Vamos a Aveiro para ganhar. Poderemos ganhar também ao Braga e na Madeira. Devemos fazê-lo e tenho fé em que tal aconteça. Mas por favor. Reveja-se toda a política desportiva da Instituição mais querida do mundo.
Todos a Aveiro.
Viva a Académica!!!

Nota: Ao que parece, Cláudio Pitbull teve mesmo uma contractura. Contractura essa que o põe em dúvida para o jogo de Aveiro.

domingo, 15 de abril de 2007

Vida "negra" para a Briosa

Depois de os resultados de hoje a Académica encontra-se numa posição muito melindrosa. O Aves e Beira-Mar ganharam fora, por 3-4 e 1-3 respectivamente, perante o Nacional e o Setúbal, e aproximaram-se perigosamente da Académica, o que faz do jogo de segunda-feira uma autêntica final. Temos no mínimo que empatar.
Não vale a pena estarmos com "paninhos quentes". Se perdermos em Aveiro, "estamos feitos".
Tudo a Aveiro. Todos a apoiar a Briosa.
Contra tudo e contra todos, havemos de ficar na Liga Bwin.
Viva a Académica!!!

Sem armas para contrariar o Porto

Depois de cerca de um mês de intervalo na escrita regular para o Denúncias, regresso num dia pouco feliz para a Académica. Água benta cada um toma a que quer, mas fico feliz por ter regressado. Embora os assuntos extra-relvado sejam importantes, hoje em dia, o desporto REI tem andado a ser esquecido na nossa cidade. É mais importante aquilo que este disse, que o outro respondeu, etc! Mas isso são contas de outros rosários...

Vamos à bola! Num jogo muito esperado para ambos os lados (a Académica vai paulatinamente perdendo terreno para os seus rivais; o FC Porto encontrava-se pressionado pelo Sporting), foi o FC Porto que desde o primeiro apito do árbitro Carlos Xistra procurou mais o golo.
A primeira meia hora de jogo foi azul e branca. Depois de Manuel Machado ter despovoado o meio campo defensivo da Académica (Lucho Gonzaléz e Jorginho nem foram dignos de marcação à zona), a nossa equipa demorou muito tempo a acertar as agulhas na marcação ao argentino e Quaresma, que começou com a corda toda, ia preocupando os adeptos da Briosa presentes no estádio.

No entanto, foi no período em que a Académica já tinha equilibrado o jogo que o FC Porto chegou ao golo, numa jogada em que a passividade e apatia dos elementos da Académica foi evidente.
Na segunda parte, e depois de ter rectificado a borrada inicial (a troca de Gyano por Brum foi mais que lógica), Manuel Machado viu a sua equipa a ameaçar entrar numa segunda parte com o gás todo, mas o Porto rapidamente acalmou os ânimos dos jogadores da Académica com a entrada de Raul Meiréles. A Briosa dominava o jogo, mas era um domínio consentido, e foi mais uma vez contra a corrente do jogo que o FC Porto chegou ao 2-0. Adriano, solto de marcação, não teve dificuldade em bater o desamparado Roma.

A Académica ainda chegou ao golo na conversão de um penalty, mas o pecado já estava irremediavelmente consumado, e o FC Porto não teve qualquer problema em segurar o resultado.

Conclusão... O FC Porto puxou dos galões para vencer em Coimbra, mas fê-lo justamente. Foi a melhor equipa.

Pedro Roma (3) - Nada podia fazer nos dois golos sofridos. A segurança habitual.
Sarmento (3) - Lateral adaptado, tentou fazer frente a Ricardo Quaresma. Provavelmente perdeu mais lances do que aqueles que ganhou, mas fazer mais era impossível.
Kaka (2) - Reparte com Litos a responsabilidade do segundo golo. Adriano sozinho na área? Bonito serviço...
Litos (2) - Idem idem aspas aspas
Vitor Vinha (2) - Sóbrio. Não comprometeu muito mas também não ajudou no ataque. Acabou naturalmente rendido.
Paulo Sérgio (3) - Esta nota deve-se ao facto de ter lutado até ao fim das suas forças, quando estava em total desvantagem. Teixeira e Dame não defendiam e Paulo Sérgio tinha de apagar os fogos ateados por Cech, Lucho, Jorginho...
Lino (3) - É bom jogador, disso ninguém pode duvidar. Não foi dos melhores jogos feitos pela AAC, mas o seu pé esquerdo é bastante bem calibrado. Não vacilou na hora da verdade.
Filipe Teixeira (3) - Bem marcado por Cech, foi mesmo assim o elemento mais perigoso da Briosa. Trata a bola por tu e sabe sempre o que fazer à redondinha.
Dame (2) - Uns furos abaixo do habitual. As coisas não lhe saíram bem, não chamou a si o protagonismo que, em conjunto com Teixeira, costuma ter na manobra ofensiva da Académica.
Gyano (1) - Nem ele sabe como figurou no 11 inicial! Ou se calhar sabe... Enfim, não vou bater mais nesta tecla.
Joeano (2) - Preso entre os dois centrais do Porto, nunca teve oportunidade de visar a baliza de Helton.

Brum (2) - Paulo Sérgio bem que precisava de ajuda...
MPedro/Alexandre (1) - Não acrescentaram nada à equipa.

Manuel Machado (1) - Fez tudo ao contrário. Começou o jogo provavelmente como deveria ter acabado. A não inclusão de Alexandre ou Brum frente ao campeão Nacional, não se pode interpretar como uma opção arrojada. Foi uma opção estúpida! E Gyano de início? Enfim...

Carlos Xistra (2) - Bem no capitulo disciplinar (foi coerente), fica uma grande penalidade clara por assinalar.

Nota: Infelizmente assistimos à vergonha do costume. A bancada de CATIVOS da Académica cheia de adeptos do Porto. Não tenho nada contra eles, mas deveriam ter ido para os topos do estádio. Por uma questão de respeito....

sábado, 14 de abril de 2007

Académica - FC Porto

Dentro de momentos irá começar no ECC a importante partida com o líder F.C. do Porto. Aqui no "Denúncias" iremos acompanhar a par e passo o desenrolar do encontro, destacando os momentos mais importantes.
Como principais alterações na Académica, há a registar a entrada de início de Vitor Vinha a defesa esquerdo, jogando Lino à sua frente. M. Machado voltou a apostar em Gyano, desta vez ao lado de Joeano e Kaká volta ao centro da defesa.
Estão cerca de 20 000 espectadores, sendo mais de metade adeptos do Porto.
Logo aos dois minutos o Porto criou muito perigo, atirando consecutivamente duas bolas ao poste.
13 min - entrada muito dura de Bruno Alves, à entrada da área, sobre Filipe Teixeira. A Académica tenta "sacudir a pressão".
15 min. cartão amarelo para Lucho Gonzalez.
18 min em contra-ataque a Académica, através de joeano, cruza da direita criando muito perigo para a baliza contrária.
22 min - Passe de Gyano para a entrada de Lino na pequema-área. Por pouco não dá golo. A Académica está, finalmente, a equilibrar a partida.
25m - Filipe Teixeira em contra-ataque remata com perigo
30 min - grande jogada de ataque da Académica e Lino à boca da baliza atira por cima da barra!
38 min - canto directo marcado por Quaresma e bola no poste
41 min - golo do Porto por Bruno Aves
Final da 1ª parte 0 - 1
Vai iniciar-se a segunda parte com uma alteração na Académica - saída de Gyano e entrada de Brum.
A Académica entrou de rompante, com três cantos consecutivos a seu favor.
Assistência oficial: 16 155 espectadores.
64 min - sai V. Vinha e entra Miguel Pedro.
65 min - falta claríssima de Fucile sobre Sarmento, mas o arbitro nada assinalou
69 min - golo do Porto por Adriano
73 min - Sai Paulo Sérgio e entra Alexandre
74 min - Penalty contra o Porto por falta sobre Filipe Teixeira
GOLO DA ACADÉMICA por Lino !! 1 -2
86m Livre perigoso marcado por Dame, mas a bola sai ao lado.
Terminou a partida. Vitória do F.C.Porto por 2 - 1.

Futsal: Académica 4 - Mocidade da Arrábida 2

A Académica obteve esta tarde uma importante vitória sobre uma das melhores equipas do campeonato. Parabéns à Malta do Futsal!

Académica - 2 Varzim-1 (Juniores)

Começou agora a 2ª parte do jogo de Juniores entre a Académica e o Varzim.
O resultado é de 2-1 a favor da Briosa, com dois golos do nosso internacional Traquina. Mais informações se se justificarem ao longo da partida.


Final do jogo. O árbitro deu 4 minutos de descontos e acabou por jogar-se 11. Vai assim a nossa arbitragem...

Nelo Vingada responde a José Eduardo Simões

Nelo Vingada não gostou de saber que, na assembleia geral de quarta-feira, o presidente da Académica, José Eduardo Simões, se referiu a si e à sua passagem pelo clube, ao dizer que o ex-treinador não queria Filipe Teixeira nem quis Fajardo e China, ambos da Naval. “Foi a segunda vez que se referiu a mim de um modo que não tem muito a ver com a tradição da Académica. Acho estranho, deselegante e desenquadrado, até porque já saí há quase um ano e saí a bem, de uma forma cordata e elevada”, recorda Nelo Vingada. “Sobre o Filipe Teixeira, ele é um grande profissional, um grande jogador, tem carácter e basta perguntar-lhe qual foi a conversa que tivemos em Quiaios, quando chegou, e ainda por que renovou o contrato com a Académica”, acrescenta o ex-treinador da Briosa. “Quanto ao Fajardo e ao China, fui responsável pelos jogadores que vieram, não pelos que não vieram. E até estamos a falar de jogadores para posições em que considero que a Académica está bem servida. Julgo que é deselegante passar esse ónus para mim. São desabafos completamente desajustados da realidade, não sei se para branquear resultados”, lamenta Nelo Vingada, agastado.

Nota: Mais um a chamar Simões de mentiroso....